conteúdos
links
tags
Cultura
Dia 19, 21h30, Auditório da Reitoria
Maestro Luís Carvalho e saxofonista Ricardo Rodrigues com Filarmonia das Beiras na abertura do ano letivo
Orquestra das Beiras
Aaron Copland, Jacques Ibert e Arthur Honegger são os compositores escolhidos para o concerto de abertura do ano letivo 2014/2015 da Universidade de Aveiro (UA), pela Orquestra Filarmonia das Beiras (OFB), dia 19 de setembro, às 21h30, no Auditório da Reitoria. O maestro convidado é Luís Carvalho e no saxofone vai estar Ricardo Rodrigues, distinguido com o Prémio Frederico de Freitas 2014.

A primeira parte do concerto vai ser dedicada a Aaron Copland (1900-1990), com a obra "Quiet City", seguindo-se "Concertino de Câmara para Saxofone", I. "Allegro con moto" e II. "Larghetto – Animato Molto", de Jacques Ibert (1890-1962). Na segunda parte vai poder ouvir-se a obra "Pastorale d’Été", de Arthur Honegger (1892-1955), e "Suite de Appalachian Spring", de Aaron Copland (1900-1990).

O maestro, Luís Carvalho 

Clarinetista, maestro e compositor, Luís Carvalho distingue-se como um dos mais versáteis músicos portugueses da sua geração. Apresentou-se em recitais e concertos um pouco por todo o mundo, muitas vezes estreando as suas próprias obras e de outros compositores contemporâneos portugueses e estrangeiros.

Luís Carvalho dirige várias das mais importantes orquestras portuguesas e no estrangeiro aparece em concertos com orquestras várias de Rússia, Itália, Hungria, Espanha e Finlândia. É fundador e diretor artístico/musical da Camerata Nov’Arte (Porto), e maestro titular da Orquestra Verazin (Póvoa de Varzim). Acompanhou solistas de renome internacional, tendo participado nos festivais internacionais de Espinho, Aveiro, Póvoa de Varzim, Estoril e Dias da Música do CCB, entre outros. O repertório que aborda é vasto e eclético, estendendo-se do barroco à atualidade, e inclui várias estreias absolutas.

Galardoado em diversos concursos, destacam-se os prémios obtidos no «Concurso de Interpretação do Estoril» (2001) e no «4º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim», pela sua obra orquestral “Metamorphoses… hommage à M. C. Escher” (2009). Foi vencedor da Audição para Jovens Maestros organizada pela Orquestra Metropolitana de Lisboa (2010), e, mais recentemente (2012), nomeado para o Prémio Autores da SPA (Sociedade Portuguesa de Autores) pela sua obra orquestral “Nise Lacrimosa”. Já em 2013, Luís Carvalho foi distinguido pelo jornal nortenho «Audiência» com o Troféu Prestígio, pela sua carreira dedicada à música.

No campo da música de cena dirigiu a estreia absoluta da ópera-oratória Auto da Fundação de Coimbra (Coimbra-2004), de Manuel de Faria, La voix humaine de Poulenc e Il secreto de Susanna de Wolf-Ferrari (Porto-2005), ou ainda Pierrot Lunaire de Schoenberg (Aveiro-2004).

Do seu catálogo como compositor, que é maioritariamente editado pela AvA-editions, destacam-se Metamorphoses… hommage à M. C. Escher e Nise Lacrimosa, ambas para orquestra, Fantastic Variations para banda sinfónica, Sax-suite para quarteto de saxofones e Hornphony para quarteto de trompas, bem como Hornpipe (trompa solo), Alboque (clarinete solo) e Chirimia (oboé solo). No âmbito da sua investigação para doutoramento concebeu uma nova versão da Sinfonia nº10, em fá# maior de Gustav Mahler, para grande ensemble, que estreou com a Camerata Nov’Arte em Junho/2014.

O saxofonista, Ricardo Rodrigues

Ricardo Rodrigues nasceu em 1992. Iniciou os estudos de saxofone aos 8 anos de idade com seu pai. Ingressou na Escola de Musica de Viana do Castelo. Em 2010 termina o curso na Escola Profissional de Música de Espinho, sendo avaliado com a nota máxima no recital. 

Participa em várias master classes dirigidas pelos mais conceituados saxofonistas da atualidade, destacando-se entre outros os seguintes: Claude Delangle, Arno Bornkamp, Fernando Ramos, Henk van Twilert, Jean-Yves Formeau, Mario Marzi, Quad Quartet. 

Durante o seu percurso musical foi premiado nos seguintes concursos: 3º classificado nos Jovens músicos categoria B (2006), 1º classificado nas categorias juvenil e júnior no Festival Internacional de Palmela (2007; 2009), 1º classificado no concurso Internacional “David Russel” (2007), 1º classificado no Concurso Anatólio Falé (2008), 1º classificado no concurso “Terras La Salete” categoria Júnior e Sénior (2009/2014), 1º classificado no concurso internacional “Eixo Atlântico” (2009), 1º classificado no Prémio Frederico de Freitas (2014).

Atualmente é finalista na licenciatura da Universidade de Aveiro, na classe de Fernando Ramos. É membro fundador do Noscalla Quartet que tem vindo a tocar em várias salas do país. É membro do combo da Riff que ganhou a Menção honrosa no Concurso, Festa do Jazz (2012).

Orquestra Filarmonia das Beiras

A Orquestra Filarmonia das Beiras (OFB)  é composta por 23 músicos de cordas de diversas nacionalidades e com uma média etária jovem e, desde 1999, é dirigida pelo maestro António Vassalo Lourenço. Ao longo da sua existência, a OFB tem sido regularmente dirigida por alguns maestros estrangeiros e pelos mais conceituados maestros em atividade em Portugal e tem colaborado com músicos de grande prestígio nacional e internacional. Simultaneamente, tem procurado dar oportunidade à nova geração de músicos portugueses, sejam eles maestros, instrumentistas ou cantores.

Do repertório da OFB constam obras que vão desde o Século XVII ao Século XXI, tendo a Direção Artística dado particular importância à interpretação de música portuguesa, quer ao nível da recuperação do património musical, quer à execução de obras dos principais compositores do século XX e XXI. Aí se incluem estreias de obras e primeiras audições modernas de obras de compositores dos Séculos XVIII e XIX.

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias