conteúdos
links
tags
Distinções
Organismo foi criado para partilha de conhecimento em pedagogia, a arte, a medicina e ciência da voz humana
Filipa Lã é nova consultora da Pan-European Voice Conferences (PEVOC)
A investigadora Filipa Lã, também professora de canto no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, foi nomeada membro do Conselho Consultivo da Pan-European Voice Conferences (PEVOC), um ciclo de conferências interdisciplinares bianuais maioritariamente europeias e dedicadas à divulgação e partilha de conhecimento nas áreas da pedagogia, da arte, da medicina e da ciência da voz humana. Este Conselho Consultivo é constituído por membros de vários países e agora também Portugal.

Estas conferências circulam entre diferentes cidades europeias, partilhando por vezes a sua organização com associações dedicadas à organização de eventos inteiramente dedicados à voz humana, já estabelecidas na Europa. Criada em 1995, a sua principal missão é a de promover um espaço onde profissionais de toda a Europa (e EUA), que se dedicam ao estudo, ensino e cuidados da voz humana enquanto instrumento de comunicação e arte, se encontram e partilham experiências pedagógicas, artísticas, científicas e médicas. Este conjunto de peritos e contribui para as decisões tomadas a nível Europeu sobre a investigação que é relevante ser discutida, assim como quais as questões de ensino, de performance e de medicina mais atuais urgentes

De forma a garantir a qualidade científica e pedagógica das apresentações realizadas na PEVOC, foi criado este Avisory Board, do qual Filipa Lã faz parte como membro permanente. Este é composto por peritos de mérito internacional nas diferentes áreas que cobrem este campo interdisciplinar de estudo da voz humana, incluindo investigadores, médicos, terapeutas, professores de canto, cantores e atores, representantes de 13 nacionalidades diferentes - Espanha, Holanda, Bélgica, França, Finlândia, Austria, Alemanha, Reino Unido, Suécia, Itália,  Estados Unidos da América, República Checa, Lituânia - e agora, pela primeira vez, Portugal está igualmente representado.

Esta nomeação “constitui um reconhecimento do meu trabalho na área da música e um incentivo para o continuar a realizar da mesma forma como até aqui o tenho feito: na constante procura de fundamentar as minhas práticas pedagógicas no canto nos resultados da investigação interdisciplinar que realizo no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro”, considera a professora de canto da UA. “Claro está que esta nomeação não aconteceria se não tivesse o apoio da Universidade de Aveiro como tenho tido até aqui, pelo que esta nomeação é também uma nomeação para a instituição que me acolheu, reconhecendo-a como um exemplo, a nível Europeu, de que  a prática do ensino artístico baseada na investigação de ponta não é apenas possível como necessária ao compromisso assumido pelas universidades de educar com consciência crítica, envolvendo educadores e educandos que sejam capazes de criar, de instigar e de, metodicamente e perseverantemente, satisfazer a curiosidade que leva ao conhecimento e à arte”.

imprimir
tags
outras notícias