conteúdos
links
tags
Cultura
Biólogas da UA mostram fotos do Cerrado no ExpoDBio no Departamento de Biologia da UA
Outros olhares sobre a biodiversidade e a cultura do Brasil
Carolina Lima, uma das três investigadoras com trabalhos expostos
O apelo da cor e do calor nas paisagens, da diversidade de animais e plantas e das particularidades das culturas foi tão forte que três biólogas da Universidade de Aveiro (UA) não se ficaram pelo trabalho de investigação que cada uma delas desenvolveu no Cerrado brasileiro. Quiseram, para além dos avanços do conhecimento, trazer imagens e emoções em registo fotográfico que pudessem ser partilhadas. "O CERRADO - Biodiversidade e Cultura" está patente de 18 de junho a 31 de julho, no Expo DBio, e é o resultado dos registos de Carolina Lima, Paula Matos e Maria João Pereira.

Carolina Lima, embora tenha fotografado vários outros aspetos do Cerrado Brasileiro, não resistiu à curiosa aldeia de Mumbuca, no Tocantins, que nasceu da miscigenação de índios e negros, e que depende, em grande parte, da venda do artesanato que faz a partir do capim-dourado típico da região. Carolina é estudante do Programa Doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais, da UA e Universidade de Lisboa.

Maria João Pereira, investigadora de pós-doutoramento do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da UA e da Universidade de Brasília, inclinou-se mais para as diferentes paisagens e pelos animais e plantas únicos do local, enquanto Paula Matos, também atraída pela diversidade de animais, fotografou sobretudo líquenes e plantas, no âmbito da sua tese de doutoramento. Paula é igualmente estudante do Programa Doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais.

Algumas fotos foram captadas no âmbito dos trabalhos, principalmente as de animais e plantas, outras em atividades paralelas, como curtos passeios em turismo, mas as imagens podem sempre associar-se ao trabalho de cada uma das investigadoras.

O Cerrado é uma eco-região, bioma ou domínio, consoante os autores, que ocupa todo o Brasil Central, com uma área de mais dois milhões de quilómetros quadrados. As cidades de Goiânia (Goiás), Brasília (Distrito Federal), Palmas (Tocantins) ficam no centro do Cerrado, mas este bioma ocorre em vários outros estados brasileiros, como por exemplo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e Minas Gerais. É como uma savana mas com fisionomias muito diversas, desde zonas com coberto herbáceo, o chamado Campo Aberto, a regiões densamente cobertas por árvores, chamadas Cerradão, e extremamente rico, em que mais de 40 por cento das plantas presentes são endémicas, ou seja, só ocorrem neste bioma. O seu clima é sazonal com uma época de chuvas e outra seca.

A inauguração de "O CERRADO - Biodiversidade e Cultura", com a presença das autoras, decorre a 18 de junho, às 15h00, no ExpoDBio (espaço expositivo do Departamento de Biologia da UA).

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias