conteúdos
links
tags
Distinções
Luis Clemente, doutorando em Direção de Orquestra na Universidade de Aveiro
Estudante do DeCA em destaque no Pacific Region International Summer Festival
O maestro Luis Clemente
O maestro português Luis Clemente está a dirigir a Orquestra Sinfónica, desde o dia 14 de junho até ao próximo dia 30, no importante Pacific Region International Summer Festival, no Norte do Canadá. Luís Clemente está atualmente a terminar o doutoramento em Direção de Orquestra na Universidade de Aveiro (aperfeiçoando-se com Ernest Schelle) e é um dos mais recentes alunos a ser aceite como estudante regular do maestro inglês Sir Colin Metters – um dos mais reputados a nível mundial – fundador e responsável máximo pelo departamento de Direção de Orquestra, entre 1983 e 2013, da Royal Academy of Music de Londres.

O processo de seleção para dirigir a Orquestra Sinfónica ocorreu nos últimos meses, a nível mundial, e visou a eleição de dois maestros assistentes para aquele importante festival. O festival PRISMA organiza-se no Norte do Canadá, na região fronteiriça de British Columbia e Alasca, e tem a direção artística do maestro Arthur Arnold (maestro da Orquestra Sinfónica de Moscovo) juntamente com os dois maestros assistentes.

Esta é uma oportunidade para o maestro português se apresentar ao mais alto nível musical, numa orquestra formada por músicos criteriosamente selecionados nas melhores Academias, Conservatórios e Universidades de música. Para além disso o restante corpo docente do festival integra músicos chefe-de-naipes oriundos de algumas das melhores orquestras, tais como NY Phil, Montréal, Boston Phil, Chicago, Berliner, Weimar, entre outras.

O trabalho de maestro assistente contempla todo o apoio artístico necessário para a apresentação dos quatro concertos que a orquestra do festival irá apresentar, nomeadamente, ensaios de secção, ensaios de tutti orquestral, bem como a eleição do músico vencedor da edição deste ano, que tocará a solo com a orquestra num dos concertos. Ambos os maestros assistentes serão também responsáveis por dirigir a orquestra nos concertos  como prémio e reconhecimento pelo trabalho.

O repertório inclui a Sinfonia 1 de Mahler, o Concerto para Orquestra de Bartok, o Concerto para Violino de Brahms, Aprendiz de Feiticeiro de Dukas e a abertura Bodas de Fígaro de Mozart.

Percurso recheado de êxito

O maestro português Luis Clemente ganhou o 1º prémio no Concurso Internacional de Direção de Orquestra em Budapeste em 2012 e em 2013 foi finalista no Concurso Internacional de Direção de Orquestra em Constanta, Roménia, ficando no lote dos seis primeiros. Em 2011 foi maestro assistente de Jan Cober na EYWO (European Youth Wind Orchestra) apresentando-se em concerto. Dirigiu já em países como Espanha, França, Itália, Roménia, Hungria, EUA, Inglaterra e Portugal formações como Orquestra do Algarve, Filarmonia das Beiras, Chen Yun Symphony Orchestra (Nova Iorque), Ópera Nacional de Constanta (Roménia), Duna Symphony Orchestra de Budapeste, Orquestra da Universidad de Murcia (Espanha), Sinfónica de Huelva (Espanha), Orquestra de Sopros de Dijon (França), Orquestra de Basileia (Suiça), Orquestra Académica do RNCM (Royal Northern College of Music de Manchester), entre muitas outras formações sinfónicas e de sopros.

É maestro da Banda e Banda Sinfónica da Covilhã desde 2011 e diretor artístico, desde 2008, dos Festivais EnOS (Estágio Nacional de Orquestra de Sopros) de Portel e Esposende. Desde 2010 que é responsável pelo CEDOS – Centro de Estudos em Direção de Orquestra de Sopros.

Luis Clemente ganhou em 2008 o prémio Caja Rural del Sur (Espanha). Com a nomeação para o festival PRISMA 2014 ganhou o prémio-bolsa Dr. Duarte Simões entregue  a 10 de junho pelo Rotary Club da Covilhã.

imprimir
tags
outras notícias