conteúdos
links
tags
Campus
Parlamentares informaram-se também sobre a gestão e funcionamento da universidade
Deputados de Timor Leste na UA para conhecer processo de elaboração dos manuais do ensino secundário daquele país
Visita deputados Timor Leste
Uma delegação parlamentar de Timor-Leste esteve dia 31 de março na Universidade de Aveiro (UA) para se inteirar do processo final de elaboração dos manuais do ensino secundário daquele país; para conhecer um pouco da gestão financeira da academia aveirense e para agradecer a colaboração da UA na criação de uma Faculdade de Ciências Exatas em Timor Leste. A delegação teve ainda tempo para conhecer o campus e encontrar-se com estudantes bolseiros timorenses.

De acordo com Izilda Soares, os deputados vieram “conhecer o processo de elaboração e produção dos manuais do ensino secundário e perceber o que é necessário fazer agora relativamente à impressão destes manuais”. “Escolhemos a língua portuguesa como a nossa língua oficial e temos de ser bons faladores de português porque é esta língua que vamos utilizar para sempre no nosso desenvolvimento”, explicou.

Izilda Soares, que é também vice presidente da Comissão de Finanças Públicas do governo de Timor Leste, ressalvou ainda a vontade em conhecer o modo de gestão da UA para poder ser aplicado também no seu Estado: “Somos um país com 12 de idade, em reconstrução também na área da educação. Temos uma universidade estatal e outras particulares mas, por sermos deputados, queremos ver como se faz a gestão da UA para a podermos aplicar lá”.

No âmbito da visita os deputados Brígida Correia, Anselmo da Conceição, Maria Angélica dos Reis e Izilda Soares aproveitaram ainda para agradecer a colaboração da UA na criação de uma faculdade de ciências exatas em Timor Leste.

Pela primeira vez na academia aveirense, os deputados consideraram o campus “bonito” e um “lugar acolhedor para se estudar, mais do que as universidades que ficam localizadas no centro das grandes cidades”, frisou Izilda Soares.

Após o encontro com o Reitor da UA, Manuel Assunção, e com a coordenadora do projeto “Falar Português – Reestruturação Curricular do Ensino Secundário Geral em Timor-Leste” na UA, Isabel Martins, e o coordenador adjunto, Ângelo Ferreira, os deputados visitaram o campus, o Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos (CICECO), reuniram com estudantes bolseiros timorenses e no final do dia encontraram-se ainda com o presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Ribau Esteves.

Recorde-se que o projeto “Falar Português – Reestruturação Curricular do Ensino Secundário Geral em Timor-Leste” na UA, inclui a elaboração de programas de 14 disciplinas do 10º, 11º e 12º anos de escolaridade, respetivos manuais para alunos e guias de professor.

Ao longo de cerca de três anos, e até março de 2013, o projeto “Falar Português – Reestruturação Curricular do Ensino Secundário Geral em Timor-Leste” produziu 84 volumes contextualizados e preparados especificamente para a realidade timorense, um trabalho desenvolvido por uma equipa multidisciplinar de 62 pessoas, professores e investigadores da UA e de outras universidades e, também, professores experientes do ensino secundário. O projeto é financiado pelo Fundo da Língua Portuguesa (Instituto Camões) e pela Fundação Calouste Gulbenkian.

A UA está também envolvida na criação de uma Faculdade de Ciências Exatas na Universidade Nacional de Timor Lorosa’e (UNTL). A este propósito o Reitor da UA e o Reitor da UNTL, Aurélio Guterres, assinaram a 15 de janeiro de 2014, um contrato programa de cooperação em que a UA vai ser responsável pela identificação das infraestruturas e dos equipamentos necessários à criação daquela faculdade, pela elaboração do currículo do curso inaugural, em parceria com professores timorenses, pela lecionação de parte das unidades curriculares nos primeiros anos e pela formação de um corpo docente da Faculdade.

imprimir
tags
veja também
 
outras notícias