conteúdos
links
tags
Cultura
O Museu da UA… Uma coleção em crescimento
UA mostra, pela primeira vez, algumas das suas coleções museológicas
Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia
Os objetos que dão corpo às coleções do Museu da Universidade de Aveiro (UA) assumem a forma de cerâmicas contemporâneas e arqueológicas, gravuras, vidros, discos do início do século XX (goma-laca), discos de vinil, cartazes, pinturas, esculturas, instrumentos musicais e guarda-jóias. Ainda um pouco desconhecidas da comunidade, algumas vão revelar-se ao público, entre 16 de dezembro e 31 de janeiro.

Atento à sua função de preservar e divulgar o património da UA, o Núcleo de Museologia da Universidade promove, através desta pequena mostra, a divulgação de uma parte das coleções museológicas da Universidade, abarcando as áreas de cerâmica, gravura, música e vidro.

Distribuídas por quatro espaços do campus universitário (Sala de Exposições Hélène de Beauvoir da Biblioteca, Galeria de Exposições da Livraria, Átrio da Reitoria e Espaço Museológico da Fábrica), alguns dos artefactos incorporam o conjunto de mais de 40 mil peças doadas à UA, particularmente nestes dez últimos anos. Algumas são peças raras, a maioria das quais nunca antes exposta publicamente. Grande parte delas data dos séculos XIX e XX, mas é possível encontrar, igualmente, exemplares que recuam ao século XV e, mais curioso ainda, a períodos pré-históricos e geograficamente ligados ao campus da UA e que, pela primeira vez, se trazem a público.

Artistas plásticos de renome

“O Museu da UA … uma coleção em crescimento” reúne trabalhos inéditos de Almada Negreiros, Cruzeiro Seixas, Manuel Cargaleiro e Julião Sarmento, entre muitos outros artistas consagrados, que construíram a história da arte em Portugal. No acervo selecionado cabem obras obtidas por via de aquisições ou de doações de artistas e colecionadores.

Instrumentos musicais e guarda-jóias

A mostra inclui uma coleção de instrumentos musicais construídos por Joaquim Domingos Capela, atividade que o tornou mundialmente conhecido, Mas, a criatividade de Joaquim Domingos Capela expressa-se para além da construção de instrumentos musicais. A partir de determinada altura da sua vida, Joaquim Domingos Capela dedicou-se, paralelamente, à criação de guarda-jóias em madeira.

Inicialmente esta coleção perfazia um total de três centenas, contudo, ao longo do tempo, ela foi sendo utilizada para a angariação de fundos com o objetivo de apoiar instituições como a “Casa do Gaiato”, tendo assim diminuído o número de peças que atualmente incorporam esta coleção.

De formas muito variadas, a coleção guarda-jóias enquadra-se na geometria e na matemática, sendo exemplo disso, o elipsóide, o hiperbolóide, o cone, a esfera, etc.; outras formas cristalográficas, como o tetraedro, o hexaedro, o octaedro, o dodecaedro e o icosaedro, únicos sólidos existentes com faces iguais e símbolos, respetivamente, do fogo, da terra, do ar, do cosmo e da água. Os materiais utilizados nesta coleção são diversificados. As madeiras nobres como o pau-santo, o ébano, e o acer foram trabalhados com aplicações de outros materiais como o marfim, a madrepérola, o vidro e até o latão, criando decorações curiosas e belas.

A coleção de guarda-jóias, agora pertença da Universidade de Aveiro, totaliza 85 objectos, alguns deles expostos no átrio da Reitoria.

Para conhecer estes “tesouros” basta passar pelos espaços identificados, até 31 de janeiro de 2014, de segunda a sábado, das 9h00 às 18h00 (Reitoria e Biblioteca) e de segunda a sexta (Livraria e Fábrica). Para marcação de visitas ao espaço expositivo da Fábrica contactar o Núcleo Museológico, pelos tf: 234 370200 ou ext. 32312.

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias