conteúdos
links
tags
Investigação
Atualização de estudo de há 11 anos
Universidade de Aveiro faz novo levantamento das plantas de Serralves
UA atualiza levantamento da flora de Serralves
A Universidade de Aveiro vai fazer o levantamento das árvores e arbustos do Parque de Serralves, no Porto, atualizando um levantamento concluído há 11 anos. No trabalho anterior não estava previsto o levantamento na zona envolvente ao Museu de Arte Contemporânea, na altura sob intervenção. O plano de recuperação executado em grande parte do Parque e, mais recentemente, os efeitos do ciclone Gong, são mais dois dos motivos para mudança operada desde o primeiro trabalho, realizado pela Associação para a Formação Profissional e Investigação da Universidade de Aveiro (UNAVE) e pela equipa do Herbário da Universidade de Aveiro.

Após o primeiro trabalho realizado entre 2000 e 2002, avança agora a atualização desse estudo que envolveu identificação das espécies, georreferenciação de cada exemplar, registo fotográfico, construção de fichas de espécie e de um mapa digital. O levantamento permite, através de uma base de dados, a apresentação detalhada ao público e pode ser utilizado para fins científicos e educativos. Os utilizadores têm acesso à identificação e descrição de cada espécie, às suas características, aplicações e usos.

A base de dados é gerida pela equipa do Parque e ainda utilizada na manutenção, sendo registadas todas as intervenções que são feitas no património arbóreo e arbustivo do Parque de Serralves. A atualização do levantamento nos 18 hectares do Parque, será realizada pelos Serviços Técnicos da UA e pela equipa do Herbário da UA (Rosa Pinho e Lísia Lopes) e vai decorrer até ao início do próximo ano.

Araucárias, liquidâmbares, plátanos, tílias, bétulas, aveleiras, azinheiras e medronheiros, são apenas algumas das espécies de vegetação autóctone e exótica que inclui cerca de 4000 exemplares de plantas lenhosas, representando sensivelmente 200 espécies, que com este novo trabalho poderão aumentar.

Entre as espécies autóctones estão o teixo, árvore em risco de extinção em Portugal, e outras representativas da flora portuguesa, como o pinheiro-bravo, o pinheiro-manso, o castanheiro, o sobreiro e espécies de carvalho autóctones. Dos arbustos destacam-se o pilriteiro, o folhado e a aveleira. Quanto à flora exótica, incluem-se as sequoias gigantes da Califórnia, liquidâmbares, cedros-do-Atlas, castanheiros-da-Índia, entre outras árvores, e arbustos como rododendros e camélias.

imprimir
tags
outras notícias