conteúdos
links
tags
Campus
Dia 18 às 14h30
Aula Inaugural do Programa Doutoral em Música 2013/2014
Debater música e desenvolvimento humano
Realiza-se no dia 18 de outubro, pelas 14h30, no Auditório do Departamento de Comunicação e Arte, a aula inaugural do Programa Doutoral em Música 2013/2014. A aula intitulada "Pós-interpretação: acerca de assemblages e outros devires" será proferida por Paulo Assis, do Orpheus Institute, Ghent. A entrada é livre.

Resumo

Num processo que foi particularmente desenvolvido no séc. XX, a performance de ‘obras’ musicais tornou-se numa complexa articulação de diferentes tipos de dados, informação e conhecimento, verificável em diversas fontes (incluindo esquissos, instrumentos, edições, gravações), em discursos teóricos (sobre ou acerca de música) e numa extrema variedade de estilos de performance.

Para além da interpretação, a contínua acumulação e sedimentação de tais tipos de conhecimento representa um crescimento exponencial da complexidade, envolvendo componentes técnicas, artísticas, estéticas e epistémicas. Como consequência, as ‘obras’ musicais parece terem perdido um caráter ontológico inquestionável, sendo agora vistas como dependentes da sua complexidade epistémica, contextualização e uso. O desmantelamento das ‘obras’ musicais nos seus elementos constitutivos – no sentido de uma arqueologia – revela-as como acumulações de singularidades, como amálgamas com múltiplas camadas de ‘coisas’, abrindo ilimitadas possibilidades para novas assemblages.

Mais do que simplesmente (re)criar ou (re)produzir uma ‘obra’  através da sua execução ou composição, o que parece crucial atualmente é desenvolver processos que constituem ‘coisas’ musicais como objetos para reflexão através de dispositivos performativos. Numa progressão não linear, esta comunicação incidirá sobre os quatro tópicos acima mencionados – interpretação, complexidade epistémica, arqueologia e montagens – e acabará com uma ilustração destas ideias concretamente aplicadas à música.

CV

Paulo Assis é um artista-investigador com interesses transdisciplinares nas áreas da filosofia, pós-estruturalismo e epistemologia. Estudou piano com Vitaly Margulis e Alexis Weissenberg (a.o.) e Musicologia com Jürg Stenzl e André Richard (a.o.), tendo desenvolvido o seu doutoramento  e investigação de pós-doutoramento sobre a obra de Luigi Nono. Sob os auspícios da Fundação Giorgio Cini  (Venice, 2003), completou o concerto de piano de Camillo Togni, após a sua morte.

Entre 2009 e 2012 foi investigador integrado do CESEM (Centro de Investigação em Estética e Sociologia da Música) da Universidade Nova de Lisboa, e bolseiro de investigador do Orpheus Research Centre in Music [ORCiM]. Recebeu, para o período de 2013-2018, uma Starting Grant do European Research Council, a partir do projeto “Experimentation versus Interpretation: exploring new paths in music performance in the twenty-first century,” sediado no Orpheus Institute, em Ghent (Bélgica).

É autor de dois livros (sobre música de Luigi Nono e Camillo Togni) e de uma coleção de quatro volumes sobre notação musical de compositores contemporâneos, designadamente Jorge Peixinho, Emanuel Nunes, Pierre Boulez e Luigi Nono. As suas contribuições públicas mais recentes incluem conferências e palestras nas universidade de Cambridge (UK), Vienna, e Porto Alegre (Performa’13).

Em 2013 proferiu diversos seminários nas seguintes instituições: University of Toulouse, Kunst Universität Graz, University of Gothenburg (Faculty of Fine, Applied and Performing Arts), Norwegian Academy of Music (Oslo), Norwegian University of Science and Technology (Trondheim), e Sibelius Academy (Helsinki).

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias