conteúdos
links
tags
Campus
Projeto quer Noroeste Peninsular com impacto internacional na investigação ligada ao Mar
Universidade de Aveiro na criação do Polo Português do Campus do Mar
Investigação na área do Mar é uma das grandes apostas da UA
A Universidade de Aveiro (UA) juntamente com as universidades do Minho, do Porto e de Trás-os-Montes e Alto Douro e os Institutos Politécnicos de Leiria e de Viana do Castelo acaba de criar o Polo Português do Campus do Mar. Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento tecnológico e o nascimento de projetos de inovação na área do Mar, o Polo pretende unir e dar força às respetivas instituições de ensino superior que estabeleceram acordos de colaboração individual com a Universidade de Vigo, líder do Campus do Mar.

Este programa da responsabilidade de Vigo, financiado pelo Ministério da Educação Espanhol e elevado recentemente à categoria de Campus de Excelência Internacional, quer potenciar na região do Noroeste Peninsular uma oportunidade de cooperação transfronteiriça, com elevação dos vários projetos em curso em Portugal e em Espanha na área do Mar, a um verdadeiro projeto de dimensão, ambição e impacto internacional.

O Polo Português do Campus do Mar sublinha a importância crescente que as universidades e institutos politécnicos envolvidos dão à cooperação internacional na área estratégica do Mar, à proteção e conservação do meio marinho, à exploração sustentada dos seus recursos e ao desenvolvimento dos setores económicos ligados ao Mar.

Os objetivos traçados, entendem a UA e os respetivos parceiros do Polo nacional, só se conseguem quando alicerçados em bases científicas e tecnológicas da máxima qualidade e que, por isso, a cooperação alargada no desenvolvimento da investigação científica e tecnológica é a melhor via para, com sucesso, se enfrentarem problemas com a dimensão e a complexidade ligadas ao Mar.

Academia aposta forte no mar

“Pretende-se com este Polo consertar estratégias do lado português no sentido de um melhor aproveitamento das potencialidades na região norte e centro ao nível do desenvolvimento científico e tecnológico na área estratégica do mar e desta forma poder interagir com os parceiros espanhóis”, sublinha José Fernando Mendes, Vice-Reitor da UA para a área da investigação.

Na academia de Aveiro acredita-se que o Polo Português do Campus do Mar, e a cooperação transfronteiriça e internacional que a entidade comporta, “será um elemento de incremento de uma estratégia conjunta que visa o desenvolvimento sustentável do ambiente costeiro e marinho numa ótica de compatibilização com as atividades socioeconómicas que dependem dos respetivos recursos”.

Em Aveiro, a Universidade tem vindo a pensar estrategicamente as suas competências académicas, científicas e de inovação em torno de várias iniciativas que darão um contributo decisivo ao Polo Português do Campus do Mar. “Em primeiro lugar, a UA forma jovens profissionais, do 1º ao 3º ciclos, através de vários programas orientados para o mar. A par da formação académica, desde a sua génese que a academia vê o ambiente costeiro e marinho como objeto de investigação interdisciplinar”, lembra José Fernando Mendes.

O Aveiro Institute for Marine Science and Technology, a Plataforma Tecnológica do Mar, a aposta no reforço do parque instrumental e laboratorial (nomeadamente através do futuro “ECOMARE”, um centro de investigação aplicada que se constitui como um projeto âncora do cluster do conhecimento e da economia do mar) e a contratação de investigadores de excelência, entre os quais Graham John Pierce, responsável pela Cátedra CGD Estudos do Mar, são exemplos de uma academia cada vez mais virada para os oceanos. 

imprimir
tags
outras notícias