conteúdos
links
tags
Investigação
Um jogo que promete contagiar os milhões de adeptos da modalidade
Estudante da UA cria primeiro simulador mundial de futsal
João Lopes e o simulador de futsal
É o primeiro simulador mundial de futsal, chama-se Futsal Manager e permite que o utilizador encarne virtualmente o papel de treinador de uma equipa. Desenvolvido por João Lopes, estudante de Engenharia de Computadores e Telemática da Universidade de Aveiro (UA), o jogo foi criado para as plataformas PC e Mac, aplicações mobile para Android iOS e Windows Phone e está ainda disponível em versão Web. O simulador promete fazer as delícias dos amantes de uma modalidade em grande expansão por todo o mundo.

“O Futsal Manager é um jogo de simulação onde o utilizador cumpre as funções de treinador”, explica João Lopes. Para fazer o gosto ao pé, ou, neste caso, aos dedos no teclado, os candidatos a campeões só têm de entrar em www.futsalmanager.pt, criar uma conta, escolher uma equipa do campeonato nacional de futsal e aguardar o apito de partida que soará a 5 de junho. E no banco do treinador já estão cerca de 1300 utilizadores prontos para começarem a roer as unhas.

“A partir desse dia qualquer jogador pode fazer os seus campeonatos tomando as próprias decisões nos treinos, nos jogos e nas contratações de jogadores”, adianta João Lopes.

Se até setembro deste ano apenas as equipas do Campeonato Nacional estão disponíveis para os pretendentes a Mourinhos, depois disso também as equipas da 2ª e da 3ª divisão portuguesa estarão à distância de um clique no Futsal Manager. João Lopes tem ainda em vista acrescentar ao jogo outros campeonatos para além dos nacionais.

A ideia de criar um jogo de simulação de uma modalidade que tem cada vez mais adeptos em redor do planeta surgiu numa conversa entre amigos. “Num formato de desafio e sabendo que era algo que a modalidade já merecia, decidi aventurar-me e trabalhar muito de forma a tornar possível este jogo ”, lembra joão Lopes. O jovem estudante da UA, hoje com 22 anos, começou a pôr as mãos à obra, ou os pés na bola virtual, em agosto de 2011.

O nascimento do jogo em muito se deve ao ‘bichinho’ da informática que sempre inspirou o João. “Desde o curso tecnológico de informática que tirei no liceu, fui sempre aprendendo a linguagem da programação. Até mesmo em casa, como autodidata, evolui muito”, lembra o estudante. E com a entrada para a licenciatura de Engenharia de Computadores e Telemática da academia de Aveiro, o impulso que recebeu foi enorme. “Todo o conhecimento que adquiri desde o momento em que entrei na UA, tanto ao nível curricular, como a observar os meus professores de programação, foi bastante importante para o meu nível de desenvolvimento atual”, reconhece o estudante.

imprimir
tags
outras notícias