conteúdos
links
tags
Campus
Iniciativa organizada pela Universidade de Aveiro e pela Fundação EurOcean
Caravela leva alunos do básico e secundário em expedição científica no Tejo
A caravela Vera Cruz, palco das expedições no Tejo
Uma caravela portuguesa, centena e meia de estudantes do ensino básico e secundário e cinco epopeias no estuário do Tejo. As viagens por mares nunca dantes navegados – pelo menos para muitos dos jovens participantes - querem incentivar crianças e adolescentes a olharem para a investigação dos oceanos e fundos marinhos e para o património marítimo português como um dos maiores valores do país. A bordo, cientistas da Universidade de Aveiro (UA), com a colaboração de investigadores do Centro de Oceanografia da Universidade de Lisboa, vão surpreender os pequenos marinheiros com o que a ciência faz pelo conhecimento dos mares. Organizadas pela UA e pela Fundação EurOcean, as viagens vão decorrer nos dias 13, 14 e 15 de maio.

Na Vera Cruz, a réplica da caravela quinhentista da Associação Portuguesa de Treino de Vela, os estudantes de cinco escolas de Lisboa, Coimbra, Ovar e Viana do Castelo, não vão apenas passear pelas águas do Tejo. A importância dos navios de investigação oceanográfica, os sistemas de posicionamento no mar e as ciências que se dedicam ao estudo oceanográfico, com especial atenção para a Geofísica e para a Oceanografia Física, são algumas das rotas preparadas pelo leme dos investigadores das duas academias.

Luís Menezes Pinheiro, cientista do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da UA, responsável pelo programa científico dos cruzeiros, quer possibilitar ainda que os pequenos descobridores vejam como funcionam as sondas que perscrutam a geografia e geologia dos fundos marinhos e as que medem temperaturas, salinidades e correntes das águas.

“Espera-se dar a oportunidade aos jovens estudantes do ensino básico e secundário de participarem numa campanha a bordo de uma caravela e ficarem a conhecer alguns dos principais métodos utilizados no estudo dos oceanos e fundos marinhos, motivando-os para as Ciências do Mar em Portugal e a sua importância”, explica Luís Menezes Pinheiro.

Esta iniciativa surge no âmbito do Projecto Europeu EUROFLEETS, no qual participam a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Fundação EurOcean, e que tem como objectivos, entre outros, a coordenação das frotas europeias de investigação científica e a divulgação da importância destas plataformas para as Ciências do Mar.

O embarque será realizado na Doca do Espanhol, em Alcântara, com saídas diárias às 9h00 e 14h00. As viagens terão a duração de quatro horas.

imprimir
tags
outras notícias