conteúdos
links
tags
Opinião
Dia Nacional do Património Geológico
Valorização socio-económica do Património Geológico
Fernando Tavares Rocha
O Dia Nacional do Património Geológico é o tema o texto de opinião de Fernando Rocha, professor e diretor do Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro. O responsável pelo Departamento de Geociências defende um conceito amplo de Geoturismo como “um recurso adicional a ser incluído num modelo sustentável de promoção e desenvolvimento das zonas que preservam um património rico e variado” e destaca a atenção que a Universidade de Aveiro tem dado a este conceito na sua formação e na investigação que realiza. Por exemplo, este Departamento da UA faz parte do Conselho Científico do Geoparque de Arouca.

O Grupo Português da ProGEO - a Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico -, decidiu, em 2011, proclamar o dia 22 de Abril (Dia Internacional da Terra) como o Dia Nacional do Património Geológico. O Património Geológico (conjunto dos aspectos e de exemplos concretos de geodiversidade, aos mais diversos níveis, que se entendeu salvaguardar por meio de medidas especiais de protecção) faz parte integrante do que é considerado genericamente como Património Natural, devendo ser objeto de iniciativas concretas conducentes à sua conservação e valorização. 

Em sentido amplo, o Geoturismo pode ser considerado como um segmento de turismo focado sobre o usufruto sustentável (por geoturistas e comunidades locais) do Geopatrimónio, a que pode ser adicionado o património cultural (material e imaterial) das áreas. Neste sentido amplo, o Património Geológico é a força motriz dos itinerários de Geoturismo, mas o património cultural também é adicionado para aumentar o valor das regiões visitadas. Este conceito amplo de Geoturismo reforça a sua capacidade como um recurso adicional a ser incluído num modelo sustentável de promoção e desenvolvimento das zonas que preservam um património rico e variado. 

Assim, o Geoturismo se tornou um tópico chave nos últimos anos como resultado combinado da progressiva preocupação da comunidade científica e da sociedade em geral sobre o património natural, incluindo o Património Geológico e a Geodiversidade. 

Um grande passo em frente foi marcado pela criação e desenvolvimento da rede de Geoparques Europeus. A definição de áreas protegidas e o rápido crescimento do número de Geoparques contribuiu para (1) proteger o Património Geológico e (2) criar a preocupação social e tornando a Geologia um instrumento valioso para promover o desenvolvimento local e o turismo. Em Portugal, merecem destaque os Geoparques de Arouca, em cujo Conselho Científico está representado o Departamento de Geociências da UA, do Tejo Internacional e dos Açores, dirigido por um Investigador da UI Geobiotec, sedeada na UA. 

Hoje em dia a maioria dos Geoparques está localizada em áreas rurais. Geoparques e Geoturismo são oportunidades para o desenvolvimento rural e também promovem a diminuição da taxa de desemprego e de emigração através do envolvimento das comunidades locais nas atividades do Geoparque. 

A UA tem tido uma perceção pró-ativa da importância deste segmento turístico, com oferta formativa a nível do Programa Doutoral em Turismo e tendo, em vias de implementação, outras ofertas em diferentes níveis formativos.

Fernando Tavares Rocha

Diretor do Departamento de Geociências da UA

imprimir
tags
outras notícias