conteúdos
links
tags
Campus
DDL oferece argamassa para dar nova vida ao torreão do Parque Infante D. Pedro
Spin-off da UA quer envolver a população na reabilitação de monumento de Aveiro
David Monteiro e Diogo Pires junto ao torreão do Parque Infante D. Pedro
Querem, literalmente, meter as mãos na massa para ajudar a reabilitar o torreão do Parque Infante D. Pedro, em Aveiro. A necessitar de uma intervenção de conservação e restauro, o torreão, um dos ex-líbris daquele espaço verde municipal, é o alvo da campanha da DDL Argamassas que quer lavar a cara ao edifício com a ajuda da população. A spin-off da Universidade de Aveiro (UA), que desenvolve argamassas tradicionais à base de cal próprias para a reabilitação de edifícios antigos, propõem-se oferecer metade do valor daquela matéria-prima por cada encomenda recebida.

“O edifício do parque precisa de uma intervenção de conservação e restauro. Neste momento não está a necessitar de uma intervenção urgente mas já apresenta alguns problemas devido a fungos, algas, manchas de humidade, escorrimentos e decaimento de materiais”, aponta Diogo Pires, antigo investigador do Departamento de Engenharia Civil (DECivil) da UA e um dos fundadores da DDL. Assim, diz o especialista, “o edifício precisa que se lhe removam os materiais de revestimento antigos, que já não estão a cumprir a função, para que lhe seja aplicado uma argamassa nova”.

A proposta da spin-off da UA, criada pela mão de Diogo Pires, David Monteiro e Luís Mariz, antigos alunos do DECivil, e instalada na Incubadora de Empresas da UA, já foi apresentada e aceite pelo Município de Aveiro. O Município ficará responsável apenas pela concretização e acompanhamento da obra de restauro do antigo depósito da água do Parque Infante D. Pedro, construído durante os anos 20 do século passado.

“Esta intervenção irá beneficiar toda a população, fomentando a ida de pessoas para este local, dinamizando assim o lazer e o comércio local”, antevê Diogo Pires. “De um ponto de vista mais global, a cidade de Aveiro irá incluir no seu roteiro mais um motivo de atracão, que para além de aumentar a qualidade de vida da população residente, fomentará também o turismo e, consequentemente, toda a atividade a ele associada”, diz.

Ligar a população à cidade

Especializada no fabrico de argamassas a pensar na reabilitação de edifícios antigos, os materiais da DDL incorporam aditivos que têm em conta as propriedades dos materiais nos quais se pretende intervir. Assim, para cada obra pode-se usar um produto personalizado que é durável, resistente e compatível com qualquer tipo de construção antiga. Para além disso, os produtos desenvolvidos pela DDL são facilmente removíveis, o que os torna ideais para intervenções em monumentos.

“Já estudámos os materiais do torreão e temos já preparada uma argamassa específica tendo em conta as características dos materiais existentes no edifício”, aponta Diogo Pires que quer que a ideia da DDL para o Parque da cidade de Aveiro “seja mais um elo de ligação entre a cidade e a população, de forma a que esta também se sinta integrada nos projetos que cá são feitos”.

Para além do torreão do Parque Municipal de Aveiro, a DDL prepara-se para avançar com a mesma campanha de reabilitação de edifícios históricos noutras cidades de norte a sul do país.

O projeto dos jovens empresário surgiu no âmbito do concurso de ideias da IEUA Start Up 2013 ao qual a DDL Argamassas está a concorrer. A competição organizada pela Incubadora de Empresas da UA tem por objetivo premiar ideias de negócio na Região de Aveiro.

Encomendas de empresas ou a título individual podem ser feitas contactando diretamente a DDL ou através do da plataforma massivemov crowdfunding do concurso IEUA Start Up 2013. Para todas as encomendas a DDL tem surpresas que, entre ofertas extras de argamassas e workshops sobre a aplicação do produto, podem passar, até, pela inclusão do nome do benemérito numa placa a ser colocada no torreão quando este for reinaugurado, já de cara lavada.

imprimir
tags
outras notícias