conteúdos
links
tags
Campus
Posse dos órgãos sociais do Núcleo de Estudantes da ESTGA
Nova mandato de Luís Soares com apoio social aos estudantes no horizonte
Posse dos dirigentes do NAE-Águeda
Os novos órgãos sociais do Núcleo Associativo de Estudantes (NAE) da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA) tomaram posse a 17 de Janeiro, no Auditório da ESTGA, na presença do Reitor da Universidade de Aveiro, Manuel António Assunção, do Diretor da ESTGA, Gonçalo Paiva Dias, e da representante dos Serviços de Ação Social da UA (SASUA), Elizabete Bastos.

O presidente do NAE, Luis Soares, na sua intervenção de tomada de posse para mais um mandato na liderança desta instituição representativa de estudantes do ensino superior, destacou: “O nosso compromisso no futuro não será menos do que aquilo que foi no passado, mas sim um compromisso com os mesmos valores e com o mesmo espírito de entrega e conquista, onde nos apresentámos perante vós estudantes da ESTGA, como executantes das vossas vontades, procurando ouvir os vossos anseios e preocupações e encontrar forma de os solucionar de modo célere e eficaz.”

O dirigente estudantil comprometeu-se a dar especial relevância à política educativa e à promoção da cidadania, impulsionando a intervenção cívica e o voluntariado e elegeu como prioridade da atuação a ação social, face à conjuntura económica que o país atravessa e que afeta milhares de famílias.

“Se em tempos de maiores facilidades este deve ser o papel fundamental de qualquer instituição representativa de estudantes, atualmente, com a conjuntura adversa em que vivemos, mais que nunca, este deve ser o pilar basilar de toda a ação a desenvolver, visto os estudantes necessitarem das instituições que os representam, que estejam a seu lado, para que juntos superem as dificuldades que possam surgir”, referiu ainda Luís Soares.

Neste sentido, comprometeu-se a “acompanhar o processo de requalificação dos edifícios das futuras residências”, consideradas essenciais, uma vez que há dificuldades ao nível das bolsas de estudo. “Estando os senhorios a exigir dois meses de renda, assim que se inicia o contrato, como prevê a lei dos contratos de arrendamento, como é possível a estes estudantes manterem-se no ensino superior?”, questionou o dirigente associativo. Luís Soares fez questão de salientar, contudo, "o esforço que tem sido feito por parte do NAE, dos Serviços de Ação Social da Universidade de Aveiro, da direção da ESTGA e da Reitoria da UA, para que todos os estudantes mais carenciados sejam identificados e ajudados enquanto a atribuição do apoio não se efetiva, mas não posso deixar também de dizer que, por muito que todos nos esforcemos, isto só não chega”. O alerta é deixado a outros organismos. “Desta forma, é preciso que a Direção Geral do Ensino Superior e o Governo de Portugal comecem já a pensar em outras alternativas para o próximo ano letivo, para que não se verifique novamente o que se está a passar, que nos envergonha a todos como cidadãos”, lamentou.

Na lista de ações previstas, o dirigente prometeu entre outras, “uma caminhada solidária”, a criação de “uma plataforma de voluntários”, a 2ª edição da campanha “Juntos Pelo Bem Comum” ampliando-a a toda universidade e, com isso, impulsionar o voluntariado em mais duas cidades para além de Águeda (neste caso, Aveiro e Oliveira de Azeméis), apoiar “a criação de empresas”, promover “rastreios de saúde”, realizar um Encontro Nacional de Escolas Politécnicas, um Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia Eletrotécnica, um Encontro Nacional de Direções Associativas em Águeda, realizar o Dia de Empreendedorismo na ESTGA, manter a “Feira de Emprego NAE” e aprofundar a relação com a ESTGA, com a UA e com as demais instituições externas à Universidade, como são exemplo as Juntas de Freguesia e a Câmara Municipal de Águeda.

Luis Soares termina apelando: "Mais que nunca, Portugal precisa de todos nós e devemo-nos unir em prol do bem comum, exercendo uma cidadania mais ativa e, assim, conseguir um país melhor, um mundo melhor". Para isso, o presidente do NAE garante contar com todos: "Estou disponível, como sempre, para, voluntariamente, dar o meu contributo em prol dos meus concidadãos e do meu país”. Perante os colegas, afirma: "Estão no sítio ideal para adquirir conhecimentos para inverter a atual situação que se vive no país e encontrar um rumo para a nação. “Ser estudante universitário é mais, é querer fazer, querer acrescentar, querer criar. É ser aluno mas é também não ser só aluno. Os desafios existem e são para todos. Ser estudante é ultrapassá-los” concluiu o dirigente estudantil.

imprimir
tags
outras notícias