conteúdos
links
tags
Investigação
Bióloga da UA descobre mais uma nova espécie cavernícola
A bióloga e espeleóloga, Sofia Reboleira, no âmbito do doutoramento que desenvolve na UA, acaba de descobrir mais uma espécie cavernícola numa gruta do Algarve. Trata-se de um insecto com aproximadamente três milímetros desprovido de olhos ou asas que vive associado ao solo ou em cavidades.

A nova espécie é o primeiro Dipluro troglóbio (adaptado exclusivamente à vida nas grutas) de Portugal, pertence à família Campodeidae ,chama-se Litocampa mendesi e mede pouco mais de 3 milímetros. «Os dipluros pertencem a um grupo de insectos denominados apterigotas (sem asas) que são naturalmente desprovidos de olhos e vivem associados ao solo ou em cavidades», explica a bióloga Sofia Reboleira.


Segundo a doutoranda da UA, este insecto «acrescenta uma nova ordem à fauna cavernícola portuguesa, uma vez que não se conhecia nenhum dipluro exclusivamente cavernícola em Portugal». Para a ciência torna-se o «representante mais ocidental do género Litocampa na Europa, cuja espécie mais próxima se encontra nas grutas da Cantábria», conclui Sofia Reboleira. 

Para além desta descoberta que, surge já descrita em revistas científicas com a colaboração do especialista espanhol Alberto Sendra, Sofia Reboleira já tinha encontrado outras quatro novas espécies cavernícolas - um pseudo-escorpião e um escaravelho - nas grutas do Algarve e de Montejunto.

imprimir
veja também