conteúdos
links
tags
Opinião
(H)À Educação: Helena Araújo e Sá e Susana Ambrósio, CIDTFF
E quando nada é ousado, para quem a tudo se atreve?
Helena Araújo e Sá e Susana Ambrósio fazem o balanço de um ano de rubrica (H)À Educação
Passado um ano do início desta “ousadia” do Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF), designada “(H)À Educação”, sabe-se que é, hoje, uma das rubricas de eleição do Diário de Aveiro, onde é regularmente publicada, em simultâneo com suportes informativos da Universidade de Aveiro. A coordenadora do CIDTFF, Helena Araújo e Sá, e a investigadora Susana Ambrósio fazem o balanço destes 27 números.

Por estes dias, enquanto caminhamos pelas ruas da nossa cidade, entre alguns pingos de chuva que teimam em não desistir de nos acompanhar, deparamo-nos com cartazes sustentando a seguinte frase de Fernando Pessoa: “tudo é ousado para quem a nada se atreve”. A frase, que serve de legenda a uma imagem de uma pessoa a dar um salto – arriscado, talvez? – de um lado para o outro de um abismo, desperta a nossa atenção. Faz-nos parar para pensar. Decerto que os aveirenses mais atentos já se questionaram sobre qual o propósito de tais cartazes, pois não se antevê publicidade nos mesmos. Nem explícita nem subliminar. Estratégias de marketing à parte, a frase, como diziamos, faz-nos parar para pensar nas nossas ousadias ou, porque às vezes também assim acontece, na falta delas. Fernando Pessoa, na sua obra Páginas de Estética e Teoria e Crítica Literária, na senda da discussão sobre o uso do epíteto, referia que havia quem muito se manifestasse contra o seu uso na literatura,  defendendo que “o epíteto é daqueles a que é uso chamar ousados, pois que tudo é ousado para quem a nada se atreve”. Quando se defendem novas ideias, se seguem caminhos nunca antes trilhados, podemos ser considerados ousados. A ousadia, audácia louvável para uns, e (mau) atrevimento para outros, faz parte do querer fazer mais, do querer ir mais longe.

Faz amanhã um ano, dia 28 de junho, que também o Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF) da Universidade de Aveiro, Centro de Investigação na área das Ciências da Educação, quis fazer mais, quis ir mais longe. Este espaço onde vos escrevemos, a Rubrica (H)À Educação, foi, e é, uma ousadia. Controlada, é certo, mas, ainda assim, uma ousadia, pelo seu caráter inovador e desafiante, quer para os seu Leitores, quer para os seus Autores.

No ínicio de junho de 2018, endereçávamos a proposta ao Dr. Ivan Silva, Diretor do Diário de Aveiro (DA), para assinarmos uma rubrica quinzenal:

Inscrito numa lógica de Ciência Aberta e acreditando que a Ciência deve ser com e para a sociedade, o CIDTFF propõe a realização de uma rubrica no Diário de Aveiro, da responsabilidade dos seus investigadores, em que se pretende abordar, numa linguagem apelativa e dirigida ao grande público, temáticas na área da educação que sejam do interesse da comunidade regional e, deste modo, contribuir para a missão do Diário de Aveiro: levar ao leitor a informação do que de mais relevante se passa na região, com verdade, seriedade e rigor.

Com esta iniciativa, o CIDTFF pretende devolver à sociedade os resultados dos estudos e projetos levados a cabo pelos seus membros, assim como contribuir para a literacia científica e para uma ação crítica e consciente da comunidade aveirense. Desde então, já foram publicadas 27 rubricas, assinadas por cerca de 30 Investigadores do CIDTFF. Até ao final do ano prevemos atingir o total de 42 rubricas, envolvendo mais de 40 dos nossos Investigadores. A rubrica (H)À Educação, dada a diversidade de áreas de investigação dos membros do CIDTFF,  tem vindo a abordar temas relacionados com a infância e os idosos, a educação em línguas e o pensamento crítico, as smart cities e as competências digitais, a cooperação além fronteiras, quer em Timor, quer em África, a mobilidade dos estudantes do ensino superior, a astronomia e a relação da ciência com a arte, assim como a formação de professores, entre outros. E mais temas se afiguram, pois as questões da Educação, como todos sabemos, nunca se esgotam.

Desde a primeira rubrica, o CIDTFF disponibiliza os textos nos seus canais de comunicação (facebook, blog e flashnews) sempre numa lógica de Ciência Aberta, procurando partilhar com a sociedade o que fazemos. Decorridos os primeiros 4 meses da nossa publicação regular no DA, a Rubrica (H)À Educação passou a ser publicada em simultâneo no jornal digital - http://uaonline.ua.pt – e redes sociais (Facebook, LinkedIn e Twitter) da Universidade de Aveiro graças à excelente articulação entre o CIDTFF, a Universidade de Aveiro e o DA, podendo ser acedida por todos aqueles que se interessam pelas questões da Educação. Esta nossa vontade de partilhar foi ainda mais longe e, em fevereiro de 2019, ousamos um pouco mais e demos outro passo na disseminação do trabalho que desenvolvemos, para chegarmos mais perto de quem importa: publicamos o primeiro volume da rubrica (H)À Educação, em formato de ebook, e, posteriormente, em formato impresso. No prefácio do livro, o Diretor do DA refere que

Estávamos bem cientes do desafio e do enriquecimento que esta rubrica traria ao Diário de Aveiro e, por conseguinte, aos Nossos Leitores. Só que, em boa verdade, as expectativas foram superadas, tal o impacto que o (H)À Educação tem vindo a ter. O rigor, a escrita impactante, os vários autores e temas onde a Educação prevalece tornaram esta uma das rubricas de eleição do nosso Diário de Aveiro. No (H)À Educação as vertentes de Educação são explicitadas de forma simples e com a necessária proximidade que, nestes casos de sucesso, é sempre a “pedra de toque”.

Por estas palavras, pela confiança depositada e o interesse demonstrado, agradecemos ao DA e aos seus Leitores, assegurando que, deste lado, no ano em que o CIDTFF comemora os seus 25 anos, vamos continuar a trabalhar afincadamente e a ser ousados, pois acreditamos que, tal como Paulo Freire refere “A educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas mudam o mundo”. Porque a Educação faz toda a diferença. E a diferença está na Educação.

Continuamos juntos!

 

Artigo escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

 

Maria Helena Araújo e Sá e Susana Ambrósio

Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF) da Universidade de Aveiro

cidtff@ua.pt

imprimir
tags
outras notícias