conteúdos
links
tags
Ensino e Formação
Candidaturas até às 12h00 (hora de Lisboa) de 8 de julho
Bolsas para Programa Doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais
Há bolsas para o programa doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais
O programa doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais (BEGC), com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, IP, no âmbito do programa de financiamento a programas de doutoramento, aceita candidaturas para a atribuição de 12 bolsas de doutoramento (tipo "bolsa mista") para o ano letivo 2019/2020. As candidaturas devem ser formuladas exclusivamente por correio eletrónico, através do endereço begcphd@gmail.com.

É crescente o interesse pelo conhecimento sobre a diversidade biológica nos seus diferentes níveis de organização e a necessidade de compreensão dos impactos das alterações globais nos serviços dos ecossistemas. O programa doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais visa assim oferecer formação avançada, orientada para a investigação, em diversas áreas da Biologia, em particular na disciplina de Ecologia, no âmbito das alterações globais e do impacto destas sobre a Saúde, sem descurar o desenvolvimento de competências comunicacionais e na área da formação do próprio emprego ou da transferência de tecnologia e/ou de conhecimento.

O programa doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais (BEAG) é proposto pelo Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, em cotutela com a Universidade de Lisboa e com a participação de várias instituições estrangeiras.

Trata-se do primeiro Programa Doutoral em Portugal que abordou a área das Ciências Biológicas na perspetiva das alterações globais, com especial ênfase em aspetos de Biodiversidade e Evolução, Ecologia e relações entre o Ambiente e a Saúde.

Os objetivos gerais do Programa de Doutoramento são:

- A compreensão geral das principais disciplinas da Biologia, da Ecologia em particular, e a capacidade para reconhecer as suas interações.

- O estudo do impacto das alterações globais nos sistemas vivos, numa perspetiva ecossistémica, de acordo com os atuais modelos de previsão.

- O enquadramento da investigação científica no contexto dos compromissos e objetivos das organizações internacionais, europeias e nacionais, em matéria de alterações globais.

- O treino de alta qualidade num ambiente de investigação exigente, mas apoiado, contando com a participação de cientistas de nível internacional.

- A formação em métodos e técnicas avançados de análise e investigação aplica­das no campo e no laboratório.

- O desenvolvimento das capacidades de procurar e interpretar informação cientí­fica complexa.

- O desenvolvimento da aptidão para realizar investigação original e capaz de satisfazer o processo de revisão por pares.

- O desenvolvimento da capacidade de concetualizar, desenhar, implementar e gerir investigação científica.

- O desenvolvimento da capacidade para interagir com equipas de investigação interdisciplinares na identificação e formulação de problemas científicos relevantes.

- O desenvolvimento da capacidade de encontrar financiamentos para a realiza­ção de investigação científica de ponta.

- O desenvolvimento da capacidade de apresentar ideias e resultados científicos a audiências especializadas e não especializadas.

- A aquisição de competências na área do empreendedorismo e do autoemprego.

Mais informações em http://bit.ly/BEGC20192020

imprimir
tags
outras notícias