conteúdos
links
tags
Distinções
Divulgados premiados no concurso de fotografia "#ScientistsAtWork"
As fotogénicas Carlinha e Bárbara premiadas pela “Nature”
Bárbara ganhou o prémio
Corria o ano de 2013 e Bárbara, falamos de Bárbara Cartagena-Matos, desenvolvia trabalho na Amazónia brasileira para o projeto-final da licenciatura em Biologia na Universidade de Aveiro. Carlinha é um dos 18 macacos-barrigudos, uma fémea, de um grupo ameaçado de extinção que vivia em semi-cativeiro próximo do Amazon Ecopark Jungle Lodge e que Bárbara estudou. A selfie captada por Bárbara com as duas foi agora premiada no concurso #ScientistAtWork da revista Nature.

A expressão de cima pode não parecer muito convidativa e contrasta com o largo sorriso de Bárbara, mas Carlinha está com um facies natural nos macacos-barrigudos de que é uma simpática representante. De tão agarrada com os dois braços, quase parece um aconchegante e fofo chapéu enfiado na cabeça de Bárbara.

Para autora, esta foto representa os seus primeiros passos como bióloga de vida selvagem. O trabalho que desenvolveu naquele período permitiu a publicação de dois artigos em revistas científicas de referência e permitu ainda conhecer e alertar para as ameaças (tráfico ilegal e habitat em destruição progressiva) que pairam sobre esta e outras espécies. A imagem, considera ainda Bárbara, representa a sua coragem ao realizar este trabalho tão longe e num ambiente tão diferente da sua zona de conforto.

Esta foto, captada em 2013, foi uma das cinco fotografias premiadas na edição de 2019 deste concurso que procura selecionar imagens criativa e dinâmicas da vida dos cientistas.

O primeiro prémio foi para uma foto de Mikhail Kapychka, numa atividade noturna de trabalho de campo com efémeras (insectos aquáticos) na Bielorússia.

Bárbara Cartagena-Matos é estudante de doutoramento no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais – cE3c, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL).

imprimir
tags
outras notícias