conteúdos
links
tags
Distinções
Bio-Radar de Carolina Gouveia traz para casa 2º lugar
Estudante da UA brilha no Fraunhofer Portugal Challenge 2018
Carolina Gouveia
Chama-se Bio-Radar e através de ondas rádio permite registar à distância a frequência respiratória humana. Eficaz, rápido e cómodo para doentes e médicos, o Bio-Radar foi desenvolvido por Carolina Gouveia na tese de Mestrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações. O projeto acaba de conquistar o 2º lugar na categoria de Mestrado do Fraunhofer Portugal Challenge 2018.

“A medição da atividade cardiopulmonar sem necessidade de qualquer contacto físico com o corpo humano tem inúmeras aplicações, entre elas a monitorização de sinais vitais de pacientes acamados ou de condutores de veículos, análise de perturbações de sono, psicologia experimental ou até mesmo no auxilio de missões de salvamento no caso de catástrofes naturais”, explica Carolina Gouveia.

O protótipo do Bio-Radar, que a estudante desenvolveu durante o Mestrado, “permite captar estes sinais vitais de forma fiável, utilizando ondas de rádio para medir com grande acuidade a distância entre as antenas e a caixa torácica do paciente”.

O sistema é composto por um radar de onda continua, que gera digitalmente um sinal sinusoidal, modulado por uma portadora de 5.8 GHz. O sinal recebido é uma versão do sinal transmitido, modulado em fase pelo movimento do peito enquanto o paciente está a respirar.

“Uma vez que ao respirar se verifica um movimento periódico da caixa torácica, o radar é capaz de medir esta variação e determinar o período do ritmo respiratório. O protótipo desenvolvido faz esta medição em tempo real através de duas antenas desenhadas para o efeito e que permitem concentrar as ondas de rádio no peito do utilizador”, aponta Carolina Gouveia.

Criado em 2010, o Fraunhofer Portugal Challenge é um concurso da autoria da Associação Fraunhofer Portugal Research, uma organização sem fins lucrativos, financiada pela alemã Fraunhofer-Gesellschaft, uma empresa de pesquisa que conta com 58 institutos espalhados por toda a Alemanha. As ideias a concurso têm de ser baseadas em teses de Mestrado ou Doutoramento e têm de contemplar uma vertente prática, ou seja, têm de ser orientadas para o mercado, com aplicabilidade na indústria ou no quotidiano da vida das pessoas.

 

imprimir
tags
outras notícias