conteúdos
links
tags
Bolsas
Envelhecimento ativo é uma das principais caraterísticas do projeto SOMA
Projeto da UA sobre sons e memórias de Aveiro recruta não académicos para tarefas de investigação
Investigadores Susana Sardo, Pedro Aragão, Ana Flávia Miguel e Aoife Hiney ¿ foto de Paulo Ramos/Diário de Aveiro
Com o objetivo de preencher duas vagas de técnicos de investigação, procurando membros da comunidade não académica, com especial ênfase para cidadãos aposentados, decorre um concurso recrutamento de 2 a 15 de novembro de 2018 no âmbito do projeto SOMA – Sons e Memórias de Aveiro. O projeto da Universidade de Aveiro (UA) constitui um laboratório vivo construído coletivamente e de forma partilhada pela comunidade, em conjunto com os investigadores, que procura colocar a investigação e o desenvolvimento ao serviço dos cidadãos. A promoção do envelhecimento ativo é uma das suas mais importantes características.

O projeto de investigação SOMA – Sons e Memórias de Aveiro tem por base a construção de um espaço físico e digital de memória dedicado à música e ao som da região de Aveiro (11 municípios membros da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, CIRA) que sirva simultaneamente objetivos de inovação, de transformação social, de criação de produtos turísticos e de produção académica.

Alinhado com as mais recentes políticas da UNESCO, que incluem a herança sonora como Património Imaterial da Humanidade, o projeto SOMA tem por objetivo a construção de um lugar de memória dedicado ao som e à música onde seja possível:

(1) salvaguardar uma herança sonora e musical associada à região de Aveiro;

(2) recordar espaços urbanos e rurais e suas dinâmicas a partir dos sons históricos;

(3) inspirar ações de reativação da memória através de processos criativos ligados à música e aos sons;

(4) mobilizar os cidadãos na construção de um repositório coletivo, de perfil intergeracional e onde as comunidades se sintam representadas;

(5) favorecer o envelhecimento ativo através de ações de investigação partilhada entre investigadores académicos e detentores de tradições;

(6) promover uma relação mais permeável entre a universidade e a sociedade;

(7) consolidar um espaço laboratorial atrativo, de perspetiva colaborativa, que favoreça o turismo académico e de investigação;

(8) elaborar roteiros sonoros patrimoniais que incrementem o turismo da região

 

Pretende-se criar um arquivo de som e memória com o perfil de um laboratório vivo. Isso significa que o arquivo será construído e compartilhado coletivamente com a comunidade juntamente com pesquisadores académicos e não académicos e conduzirá a uma dinâmica contínua com o objetivo de garantir que a pesquisa e o desenvolvimento incluam e beneficiem tanto a academia quanto a comunidade local.

Equipa multidisciplinar com experiência de sucesso

Composto por uma equipa interdisciplinar que reúne etnomusicólogos, produtores culturais, técnicos de som, arquivistas, designers, engenheiros de som e membros da comunidade não académica, o projeto SOMA baseia-se na metodologia da pesquisa-ação participativa, fundamentada em um profundo diálogo entre investigadores e a comunidade não académica. Parte da equipa de investigação do SOMA realizou, entre 2013 e 2015, um projeto de investigação que levou à construção de um arquivo sonoro de um bairro de Lisboa, desenvolvido com o apoio de fundos da FCT (projeto Skopeofonia), e utilizando práticas de investigação partilhada e métodos de pesquisa-ação. O sucesso desse projeto abre a possibilidade de estender a metodologia para a região de Aveiro, desta vez com ações diferentes e mais ambiciosas e com o objetivo de contribuir para a valorização da região.

A equipa é constituída pelos investigadores da UA, Susana Sardo, Ana Flávia Miguel, António Lourenço, Jorge Castro Ribeiro, Rosário Pestana, Joaquim Sousa Pinto, Cristina Cortês, Andreia Duarte, Álvaro Souza, António Santos, Alexsander Duarte, Pedro Aragão, Aoife Hiney, Rui Raposo, e ainda por José Alberto Salgado (UFRJ/Brasil) e Dario Ranocchiari (UGR/Espanha). Regina Abreu (UNIRIO/Brasil) e Huib Schippers (Smithsonian Institute/EUA) são consultores internacionais do projeto.

Para além de um diálogo intenso com instituições públicas e privadas ligadas ao ensino musical e às práticas artísticas (bandas musicais, grupos folclóricos, orquestras) da região de Aveiro, o projeto prevê a consolidação de um grupo de pesquisa formado por investigadores e membros da comunidade com especial ênfase em cidadãos em situação de reforma, uma vez que a promoção do envelhecimento ativo é uma das mais importantes características do projeto.

Entre 2 e 15 de novembro, encontra-se aberto o concurso para duas bolsas de técnico de investigação destinadas a pessoas que 1) estejam aposentadas e que 2) sejam ou já tenham sido moradores na região de Aveiro ou que sejam elementos ativos e interventivos na vida social e cultural da região de Aveiro (Portugal) (vd. edital em anexo).

O SOMA é um projeto elaborado pelo Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), polo de Aveiro, que foi cofinanciado pela União Europeia, através do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, na sua componente FEDER, e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. O projeto terá a duração de 36 meses com início em julho de 2018 e data previsível de fim em julho de 2021.

Ver edital disponível através do menu, nesta página, à direita.

As candidaturas devem ser formalizadas, obrigatoriamente, por email, através do envio de carta de candidatura acompanhada dos seguintes documentos: curriculum vitae, carta de motivação e outros documentos considerados relevantes. Devem ser enviadas para os seguintes endereços de correio eletrónico: ssardo@ua.pt; dianaboliveira@ua.pt

imprimir
ficheiros associados