conteúdos
links
tags
Distinções
Joana Soares
Antiga aluna de música da UA brilha em várias competições nacionais e europeias
Joana Soares, Antiga aluna de música da UA, Oboísta
Um 1º lugar no Prémio Jovens Músicos, um 1º lugar no Prémio da União Europeia para as Competições Musicais e um 3º lugar no Concurso internacional Young Artist Oboe Competition IDRS. A antiga aluna da UA, Joana Soares, tem somado vitórias em várias competições nacionais e internacionais com o seu talento como oboísta. Joana Soares vai participar no concerto de encerramento dos Festivais de Outono 2018, a 28 de novembro, às 21h30, no Teatro Aveirense.

“É sempre bom e especial sermos reconhecidos”, reconhece Joana Soares, até porque na opinião da jovem música “há uma concretização profissional e pessoal de todo o percurso e trabalho que fizemos até este momento”. “Ser laureado”, acrescenta a oboísta, “tem um significado especial; significa que conseguimos alcançar o ponto alto dentro deste objetivo mostrando o nosso valor, a nossa preparação, as nossas capacidades e o nosso trabalho. Aprendemos sempre independentemente de levarmos um prémio ou não, mas todos gostamos de ganhar”.

E Joana sabe bem que sentimento é esse. Para além de ter conseguido um 3° lugar no Concurso Internacional Young Artist Oboe Competition - IDRS, em Granada, conquistou o 1º lugar no Prémio da União Europeia para as Competições Musicais e o 1º lugar na 32ª edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Superior).

Dos três galardões, o Prémio Jovens Músicos é o que tem mais significado para a jovem música de Vale de Cambra. “É o concurso mais forte e mais reconhecido no nosso país e oferece-nos oportunidades fantásticas enquanto músicos. Por exemplo, já tive a oportunidade de tocar a solo com a Orquestra Gulbenkian, algo que para mim é uma grande honra e oportunidade. Já valeu a pena! Além disso, há uma visibilidade que acabamos por ter que será sempre uma mais valia para o nosso futuro, pois expõe-nos de forma a conhecerem-nos ou a sermos lembrados que existimos, que tocamos desta forma e que queremos crescer e ter oportunidades. No entanto, é importante referir que todos os concursos são sempre uma mais-valia, tanto para o nosso crescimento enquanto músicos e pessoas, como para o nosso Currículo que vai sendo preenchido com as nossas experiências. O Prémio Jovens Músicos não foi exceção e traz-me uma felicidade interior respetiva ao meu trabalho, esforço e dedicação”.

Joana Filipa Fernandes Soares estuda no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris na classe de David Walter e Nora Cismondi. É licenciada em Música pela Universidade de Aveiro na classe de Jean-Michel Garetti, tendo anteriormente realizado os seus estudos musicais no Conservatório de Música da Jobra, onde completou o 12º Ano, integrando o Ensino Profissional na classe dos professores Jonathan Costa, Jean-Michel Garetti e Ana Madalena Silva.

Nascida a 1997, é natural de Vale de Cambra e iniciou os seus estudos aos 5 anos de idade, em requinta, na Sociedade Artística-Banda de Vale de Cambra.

Durante o seu percurso artístico participou em masterclasses com oboístas de renome tais como David Walter, Christian Wetzel, Jean-Luc Fillon, François Leleux, Nora Cismondi, Christian Schmitt, Robert Silla, J. M. Poupelin, Louise Pellerin, Ricardo Lopes, Pedro Ribeiro e Samuel Bastos; e teve a oportunidade de trabalhar com maestros como Pierre-André Valade, Julien Leroy, David Walter, Takashi Kondo, Pedro Neves, José Eduardo Gomes, Jan Cober, Andreas Weiß, António Saiote, José Rafael Vilaplana, Carlos Marques, Alberto Roque, Alex Shillings, Luís Carvalho, Ernst Schelle, Francisco Ferreira, António Vassalo Lourenço, André Granjo, Pedro Carneiro, entre outros.

Integrou a Sub-21 Capital Europeia da Cultura (Guimarães 2012), Jovem Orquestra Portuguesa e EGO (Estágio Orquestra Gulbenkian). Colabora frequentemente com a Banda Sinfónica Portuguesa e já colaborou com Orquestra Sine Nomine, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orchestre de Chambre de la Nouvelle Europe, Orchestre Symphonique et Lyrique de Paris, Orchestre de Colonne e Orchestre Sostenuto. Colaborou ainda com Miguel Araújo, gravando um tema para o filme "A Canção de Lisboa".

Laureada em alguns concursos, destacam-se, como solista: 2º Prémio na 29ª Edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Médio, 2015), os 1ºs prémios no Concurso Internacional de Sopros Terras de La-Salette, nas diferentes categorias: Infantil (2009), Júnior (2014) e Sénior (2017); e o Prémio do Público e 1º lugar (ex-aequo) no Prémio de Interpretação Frederico de Freitas/Universidade de Aveiro (2017). No contexto de música de câmara, incorporou o agrupamento pentaUnio (quinteto de sopros), com o qual alcançou o 3º lugar no III Concurso Nacional Gilberta Paiva (2017) e o 3º lugar na 30ª edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Superior, 2017).

Destacam-se ainda, a participação no festival Kultur Sommer Nordhessen, realizado no Kongress Palais Stadthalle, Festsaal (Kassel, Alemanha) com a Jovem Orquestra Portuguesa, a participação no World Music Contest (Holanda) com a Banda Sinfónica Portuguesa, gravação do CD “The Ghost Ship” com a Banda Sinfónica Portuguesa e uma turnê de 12 concertos (China) com a Orchestre de Chambre de la Nouvelle Europe. É membro do projeto “Tia Graça – Toda a gente devia ter uma.”, uma criação da d’Orfeu AC.

imprimir
tags
outras notícias