conteúdos
links
tags
Campus
Embaixador Cai Run inaugurou exposição na UA
"'‘Uma Faixa uma Rota’ tem origem na China mas está a beneficiar todo o mundo”
Embaixador da China inaugurou exposição
O Embaixador da China em Portugal sublinhou, na Universidade de Aveiro (UA), o êxito da iniciativa "Uma Faixa, uma Rota" que, nos últimos cinco anos, “superou as expectativas”, destacou o papel de Portugal, ponto de partida da parte europeia da antiga rota marítima e, em particular, o contributo da UA. O Reitor Paulo Jorge Ferreira reafirmou o “claro” compromisso da UA na disseminação da língua e cultura chinesas.

O Embaixador esteve na UA para inaugurar a exposição “Uma Faixa, uma Rota” que divulga a iniciativa com o mesmo nome incentivando a cooperação cultural e económica e inspirada nas antigas rotas da seda por terra e mar.

Lembrando o empenho tanto do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, como do Primeiro Ministro, António Costa, a “Uma Faixa, uma Rota”, Cai Run afirmou que a China atribui elevada importância ao papel marcante que Portugal desempenha na construção desta iniciativa e “está disposta a trabalhar, em conjunto com Portugal, para impulsionar sinergias entre a iniciativa e a estratégias de desenvolvido de Portugal, promovendo a cooperação bilateral, conseguindo mais êxitos e beneficiando os dois povos”.

Acompanhando o êxito da iniciativa, o Embaixador constatou que as relações sino-portuguesas atravessam a melhor fase da sua história. Em 2017, as trocas comerciais entre os dois países totalizaram cerca de cinco mil milhões de euros e as importações portuguesas registaram um aumento homólogo de 30 por cento. O investimento da China em Portugal já ultrapassou os nove mil milhões de euros, enquanto o investimento no sentido contrário “está a aumentar de forma estável”, referiu Cai Run.

Por seu turno, a UA, afirmou o representante da China em Portugal, tem conseguido sucessos no ensino da língua e cultura chinesas, formação de profissionais qualificados, construção de equipas de professores e investigação pedagógica e dado contributos positivos para o intercâmbio e cooperação China-Portugal nas áreas educativa, linguística, cultural e interpessoal. Quanto ao Instituto Confúcio da UA, “vem obtendo resultados notáveis no ensino de mandarim e na divulgação da cultura chinesa na Universidade e nas escolas do norte de Portugal”, assinalou.

O Reitor a UA lembrou o papel pioneiro da cooperação científica entre a UA e a China, assim como da criação do Mestrado em Estudos Chineses, durante a década de 90 do século XX.

“Uma Faixa, uma Rota” envolve, até agora, mais de 130 países e organizações internacionais. Entre estes países e a China o volume comercial atinge mais de cinco triliões de dólares americanos e o investimento direto chinês nesses países ultrapassou os 70 mil milhões de dólares americanos. O Fundo da Rota da Seda assinou acordos de 21 projetos de investimento e comprometeu-se em investir mais 7,8 mil milhões de dólares americanos. Assim, o Embaixador conclui: “ “Pode dizer-se que a iniciativa ‘Uma Faixa, uma Rota’ tem origem na China mas está a beneficiar todo o mundo’”.

imprimir
tags
outras notícias