conteúdos
links
tags
Investigação
UA Descobre
Queijo da Serra pasteurizado a frio: as mesmas caraterísticas, maior segurança alimentar
UA Descobre - pasteurização não térmica do Queijo da Serra
Uma tese de doutoramento, em curso, avaliando a pasteurização não térmica do queijo da serra artesanal, com aplicação de alta pressão, mostrou, até agora, a ausência de microrganismos patogénicos no queijo, pelo menos, até 500 dias, sem alteração das suas conhecidas caraterísticas. Esta é uma das possíveis aplicações da Alta Pressão, como explica Jorge Saraiva, investigador da Unidade de Investigação de Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) e coordenador da Plataforma Tecnológica Multidisciplinar da Alta Pressão da Universidade de Aveiro (UA).

A tese de doutoramento “Evaluation of high-pressure as a non-thermal pasteurisation technology to render Serra cheese manufactured from raw ewe milk microbiologically safe” / “Avaliação da alta pressão como tecnologia de pasteurização não térmica para garantir a segurança microbiológica do queijo da serra artesanal feito com leite cru de ovelha”, de Ana Rita Inácio, está em curso. A orientação é de Jorge Saraiva, responsável pela Plataforma Tecnológica da Alta Pressão da Universidade de Aveiro, em parceria com a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto e com a Associação nacional Criadores Ovinos Serra da Estrela (ANCOSE).

Para além desta tese de doutoramento, vários outros trabalhos de investigação, em parceria com a indústria, têm vindo a ser desenvolvidos usando os equipamentos disponíveis na UA e no âmbito da Plataforma Tecnológica Multidisciplinar da Alta Pressão.

O vídeo UA Descobre sobre esta e outras aplicações da tecnologia de Alta Pressão pode ser visualizado:

imprimir
tags
outras notícias