conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antiga aluna UA - Antonieta Correia Gomes, licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas
Missão em Angola ao serviço da Unitel
Antonieta Correia Gomes
É uma das pontas de lança da Unitel. Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas pela Universidade de Aveiro (UA), Antonieta Gomes tem em mãos os destinos de dois departamentos comerciais da maior empresa de telecomunicações de Angola e uma das maiores de África. Da passagem pela UA não tem dúvidas: “Foi essencial para uma carreira profissional bem-sucedida”.

Em 2006 terminou a Licenciatura em Línguas Literaturas e Culturas no Departamento de Línguas e Culturas da UA. Seguiu-se o curso de especialização do Mestrado em Línguas e Relações Internacionais e o Mestrado em Gestão de Marketing  do IPAM.    

Para pagar as propinas, em 2000 foi trabalhar na Telecel. Entretanto, após 6 anos na área comercial daquela empresa que, entretanto, passara a Vodafone, foi para Lisboa para a área da Gestão de Informação, período após o qual foi convidada a secretariar a direção comercial do norte do país. Sempre na Vodafone, regressou à vertente comercial onde foi responsável, a nível nacional, por um projeto que ela própria iniciou junto das comunidades jovens e imigrantes em Portugal onde desenvolveu e implementou várias ações de marketing com o objetivo de angariar clientes.

descrição para leitores de ecrã
Antonieta Correia no Cabo da Boa Esperança, na África do Sul, num continente que abraçou em 2014.

Após cerca de 5 anos a criar e consolidar este projeto, veio a vontade de desenvolver uma experiência internacional. Foi quando, no final de 2014, lançaram um desafio a Antonieta Gomes: trabalhar para uma das maiores empresas de telecomunicações de África e a maior de Angola, a Unitel. Hoje, aos 37 anos, garante que “tem sido um desafio constante e uma excelente experiência”.

Quais os motivos que a levaram a estudar na UA?

A reputação e proximidade foram fatores fundamentais.

O curso correspondeu às suas expectativas?

Gosto imenso de viajar e conhecer diferentes Línguas e Culturas. O motivo que escolhi o curso (inicialmente de Português /Francês) foi precisamente o gosto pelas Línguas. Portanto, nesse sentido, foi bastante positivo pois pude aprofundar os conhecimentos das Línguas Portuguesa, Francesa e Espanholas. Assim como das respetivas Culturas. Tanto que ainda frequentei dois cursos livres de Línguas Estrangeiras:  Italiano e Russo.

E a UA?

A UA tem precisamente a vantagem da diversidade de opções assim como a grande vantagem da centralização do campus que permite ter uma visão mais global do nosso futuro enquanto estudantes.

O que mais a marcou na UA?

A "viagem universitária" tem sempre episódios que marcam a vida das pessoas e tenho algumas das melhores recordações enquanto estudante. Claro que poderia enumerar os professores que mais me marcaram, mas esta entrevista tornar-se-ia demasiado extensa, pois cada um deles me marcou em algum momento mesmo com episódios pequenos, mas são nesses episódios pequenos onde aprendemos. Como comecei a trabalhar desde muito cedo, só frequentava as aulas quando tinha folgas no trabalho e muito do estudo era feito em casa e na biblioteca de forma mais autónoma; portanto a minha presença não era tão assídua como a maioria dos meus colegas. O que posso dizer é que foi na Universidade de Aveiro que conheci pessoas fabulosas e graças a essa experiência tenho amigos para a vida!

Sempre soube a profissão que queria seguir?

Eu sempre tive gosto em diferentes matérias e uma curiosidade tremenda por vários temas. Portanto nunca tive uma clara ideia da profissão que queria. Achava que queria ser professora mas entretanto percebi que a gestão estava muito mais ligada ao meu ADN.

Como descreve a sua atividade profissional?

A minha atual atividade profissional é muito dinâmica e multidisciplinar. Neste momento estou responsável por dois departamentos dentro de uma direção comercial. Um dos departamentos tem secções como suporte e logística, ou seja, funções mais de análise e administrativas e o outro departamento tem secções mais ligadas ao desenvolvimento comercial, tanto com projetos tecnológicos, trade marketing e campanhas.

Ou seja, o meu dia a dia está muito ligado a acompanhar resultados de vendas, desenhar campanhas comerciais, garantir que os pontos de venda estão com todo o material de merchandising necessário, criar novas soluções tecnológicas que auxiliem na tomada de decisão, como por exemplo, sistemas de Business Intelligence ou desenvolver ferramentas e formas que nos permitam crescer em pontos de venda. Resumindo, muitos emails, muitas reuniões e muita criatividade e dedicação para resolver problemas! Tenho uma equipa de mais de 30 pessoas. Tem sido fantástico poder contar com eles para atingir estes objetivos.

O que mais a fascina na sua atividade profissional?

É precisamente a diversidade e a pluralidade de temas que me fascinam. Não há um dia igual aos outros!

Que competências adquiridas na UA entende terem sido fundamentais para o exercício da sua atual atividade?

A entrada na UA foi um marco muito importante no meu desenvolvimento pessoal. Sem dúvida que os primeiros anos longe de casa nos fazem crescer e amadurecer. Acredito que as competências interpessoais e o trabalho em equipa foram claramente aprofundados a partir do momento em que entrei na UA. Todos os trabalhos de grupo, a convivência com os colegas e professores, a partilha de experiências, conhecer pessoas de backgrounds tão dispares são essenciais para uma carreira profissional bem-sucedida.

imprimir
tags
outras notícias