conteúdos
links
tags
Entrevistas
Professor UA – Frederico Moura e Sá, Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território
Um conselho para os alunos? "Divirtam-se e gozem este tempo!"
Frederico S¿¿
Gosta de rir. Gosta de ser professor. Gosta de aprender com os alunos. Gosta de lhes dizer para se divertirem e para gozarem a vida académica. Frederico Moura e Sá é professor no Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território (DCSPT) da Universidade de Aveiro (UA) onde ensina e investiga aquilo que mais gosta na Ciência: Planeamento do Território e Urbanismo. Ah! E gostava de ganhar o Euromilhões!

Urbanista, licenciado em Engenharia Civil e doutor em Arquitectura, formações tiradas na Universidade do Porto, Frederico Moura e Sá é mestre em Planeamento do Território pela UA. Professor desde há 10 anos no DCSPT, está ligado à Licenciatura em Administração Pública, ao Mestrado em Planeamento Regional e Urbano e ao Mestrado Integrado em Engenharia Civil.

Frederico Moura e Sá é membro da unidade de investigação GOVCOPP desde 2008, onde está envolvido em diversos projetos de investigação, projetos europeus e de prestação de serviços nas áreas da reabilitação urbana, do planeamento urbano, da mobilidade e da qualificação de espaços públicos. Tem como principais áreas de interesse o planeamento do território e da mobilidade, as infraestruturas urbanas e a qualificação do espaço público urbano.

Como define um bom professor?  

Não sei bem, a pergunta é difícil!… Acho que acima de tudo é alguém que tem genuíno prazer em aprender! Alguém inquieto e curioso, que procura incessantemente ser surpreendido e que tem vontade de passar aos outros essa mesma inquietação!

O que mais o fascina no ensino?

Os alunos. Porque me obrigam a procurar saber mais, a ser mais inquieto. O curioso é que muitas vezes o fazem sem o saber!

Como qualifica a formação que é dada aos estudantes nos cursos a que está ligado?

Nos cursos a que tenho estado ligado há uma preocupação específica em formar profissionais com sentido crítico, capazes de poder qualificar a prática instalada; e essa parece-me ser uma das missões centrais de uma formação académica. Além do mais há uma cultura de grande proximidade entre professores e alunos o que gera um ambiente muito favorável ao debate, à troca de ideias, ao contraditório e à aprendizagem.

Que grande conselho dá aos seus alunos?

Divirtam-se e gozem este tempo! É um privilégio ser estudante universitário… É o tempo em que o nosso principal objetivo é ir aprendendo e gozando cada um desses dias!

Houve alguma turma que mais o tivesse marcado? Porquê?

Gosto de turmas em que sinto que há gozo e entusiasmo com o que vamos discutindo… E na generalidade, tenho a sorte de isso me acontecer bastantes vezes.

Pode contar-nos um episódio curioso que se tenha passado em contexto de sala de aula ou com estudantes?

É difícil… As aulas são sempre surpreendentes. Só muito raramente correm exatamente como tínhamos previsto! É essa incerteza que dá gozo e que transforma aquele espaço quase sempre num lugar muito especial.

descrição para leitores de ecrã
Prazer nas salas de aula: “Gosto de turmas em que sinto que há gozo e entusiasmo com o que vamos discutindo”.

Traço principal do seu carácter

O riso. Gosto de rir.

Ocupação preferida nos tempos livres

Amigos. Fazer novos, estar com os de sempre… Enfim, amigos!

O que não dispensa no dia-a-dia

Conversar com as minhas filhas.

O desejo que ainda está por realizar

Tirando o euromilhões?

imprimir
tags
outras notícias