conteúdos
links
tags
Distinções
Nuno Figueiredo desenvolve atividade na Eslováquia
Antigo aluno da UA vence Concurso de Composição Jorge Peixinho
O compositor Nuno Figueiredo
A laguna, a água, o mar e os seus sons, as memórias de Aveiro, foram fonte de inspiração para a obra “Soffiando”, de Nuno Figueiredo, vencedora do III Concurso Internacional de Composição GMCL/Jorge Peixinho. Trata-se de uma distinção “de grande significado para si”, considera o compositor a desenvolver carreira de docente e investigador na Eslováquia, e ainda mais por ter sido distinguido com um prémio em honra de Jorge Peixinho, compositor de renome que tanto admira.

Nuno Figueiredo foi distinguido com o primeiro prémio do III Concurso Internacional de Composição GMCL/Jorge Peixinho, na Categoria B.  As obras a concurso na categoria B teriam que ser compostas para um mínimo de quatro instrumentos. A instrumentação era flexível até ao limite da formação instrumental do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa (GMCL). Na Categoria A, as obras a concurso teriam de ser escritas tendo em conta a formação completa do GMCL. “Soffiando” é uma obra para quarteto (clarinete Bb, violino, violoncelo e piano).

O grande significado para o distinguido, explica o próprio, deve-se, primeiro, ao facto de ser “o mais importante concurso de composição em Portugal”, sendo a presidência do júri atribuída ao compositor italiano Ivan Fedele: “Um dos melhores compositores vivos que conheço”, comenta Nuno Figueiredo. Por outro lado, o antigo aluno da UA entende que este concurso é uma forma de lembrar e homenagear o compositor Jorge Peixinho e “o seu grande contributo para a música portuguesa”, em relação ao qual Nuno Figueiredo sente “uma enorme ligação”.

Na mesma noite que ia receber a distinção soube de tinha falecido a compositora e harpista Clotilde Rosa, membro do júri do concurso e cofundadora da GMCL. “Foi um choque”, lamenta o antigo aluno. Na sequência desse acontecimento, a cerimónia foi desmarcada. Como tal a sua obra, acabou por não ser interpretada.

O antigo aluno da UA foi distinguido, em 2009, com a melhor composição em música eletrónica portuguesa no X Concurso de Música Electroacústica, promovido pelo Miso Music, com a obra “The Electronic Sounds of the Birds”. No mesmo ano venceu o 5º Concurso Internacional de Composição da Póvoa do Varzim, com a obra “Ocaso para clarinete e orquestra”. No ano de 2014, ficou em primeiro no I Concurso Internacional de Composição GMCL/Jorge Peixinho com a obra “Memorandum of understanding...”, para quinteto (flauta, clarinete, piano, violino e violoncelo). Já em 2017, foi-lhe atribuída a medalha de mérito artístico do Município de Santa Comba Dão, onde nasceu. Há ainda a registar, entre outros factos de relevo, duas menções honrosas: no I Concurso Internacional de Composição Caravelas, com a obra “Zoey, Duas Imagens Poéticas” para septeto (voz, flauta, clarinete, trompa, violino, viola e violoncelo), e no IV Concurso Internacional de Composição Fernando Lopes Graça, com a obra para guitarra “Trípoli”, dedicada à jornalista Cândida Pinto.

A par da criação de obras contemporâneas Nuno Figueiredo tem, também, interesse pelo Ensino, em especial pela Didática e pela Educação Musical. Na sua opinião, esta área “precisa, urgentemente, de bons professores”.  Há alguns anos que desenvolve um estudo sobre o Ensino da Música de Conjunto em ensambles heterogéneos – para a disciplina de Classe de Conjunto, nas Academias e Conservatórios de Música.

imprimir
tags
outras notícias