conteúdos
links
tags
Distinções
No XI Congresso do Comité Português da URSI
Aluna da UA conquista “Best Student Paper Award”
Carolina Gouveia e José Vieira
Carolina Gouveia, aluna do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações, conseguiu um “Best Student Paper Award” no XI Congresso do Comité Português da URSI, com um paper que descreve um protótipo de um bio-radar para a aquisição e processamento do sinal respiratório em tempo real, sem recorrer ao uso de elétrodos ou qualquer tipo de sensores de contacto. O trabalho foi desenvolvido em colaboração com Daniel Mafalaia, José N. Vieira e Pedro Pinho, do Instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro e do Instituto de Telecomunicações de Aveiro.

O artigo, intitulado “Bio-radar performance evaluation for diferente antenna design”, baseia-se no trabalho que Catarina Gouveia está a desenvolver no âmbito da sua dissertação de mestrado, consistindo num protótipo de um bio-radar, cujo foco é a aquisição e processamento do sinal respiratório em tempo real, sem recorrer ao uso de elétrodos ou qualquer tipo de sensores de contacto. Desta forma, o sistema do bio-radar permite medir sinais vitais com precisão, baseando-se no princípio do efeito Doppler que relaciona as propriedades do sinal rádio refletido com a variação da distância percorrida pelos sinais. Essa distância está compreendida entre as antenas do radar e a caixa torácica do paciente e varia com o movimento do peito conforme a função respiratória.

O trabalho premiado apresenta as caraterísticas deste protótipo com especial destaque para a importância do correto projeto das antenas na qualidade do sinal recebido. Explica a mestranda que “os protótipos apresentados na literatura usam hardware integrado com módulos de conversão digital à parte, fazendo o processamento de sinal offline”. O facto de o protótipo apresentado recorrer à tecnologia Software Defined Radio (SDR) que contém o hardware integrado e a respetiva conversão digital na mesma plataforma que pode ser configurada digitalmente e em tempo real representa uma grande contribuição nesta área, até porque “a aquisição dos sinais e respetivo processamento é também feita em tempo-real”.

Este prémio é, por isso, de extrema importância para a aluna, contendo um elevado significado, “uma vez que vem valorizar não só o trabalho desenvolvido até agora mas também os seus intervenientes, que além de contar com o auxílio dos meus orientadores, José Vieira e Pedro Pinho, conta também com o pioneiro deste projeto, Daniel Malafaia, que deu os primeiros passos neste trabalho no âmbito da sua dissertação de doutoramento e auxiliou-me no desenvolvimento do protótipo. Este prémio e o destaque deste projeto vem dar mais motivação para a continuação do seu desenvolvimento e exploração de novas soluções”.

Carolina Teixeira de Sousa Gouveia é natural de Caldas da Rainha, Portugal, onde nasceu em 1990. Concluiu a licenciatura em Tecnologias dos Equipamentos de Saúde no Instituto Politécnico de Leiria, em 2011. Atualmente encontra-se no último ano curricular do Mestrado Integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações, na Universidade de Aveiro. Na sua dissertação de mestrado desenvolveu um protótipo de um Bio-Radar e conta com duas publicações neste âmbito. As suas áreas de interesse na investigação focam-se em processamento de sinal, antenas e radares.

imprimir
tags
outras notícias