conteúdos
links
tags
Investigação
INFANTE integra investimento de 9,2 milhões de euros
IT participa na construção de satélite que permite observar o planeta Terra
O Instituto de Telecomunicações (IT) prepara-se para participar na criação do INFANTE, um projeto de desenvolvimento e demonstração em órbita de um satélite precursor para constelações de microssatélites que irá estabelecer a base para novas linhas de negócio e reforçar a posição de Portugal no panorama internacional do espaço. A participação do IT (polo de Aveiro) centra-se no desenvolvimento de soluções de rádio que em fase posterior serão integradas com a componente de comunicações e radar.

A lançar em 2020, o objetivo da investigação passa pela observação da Terra e pela criação de comunicações, com especial foco nas aplicações marítimas. Com um investimento de 9,2 milhões de euros e uma equipa de 150 investigadores, engenheiros e técnicos, o INFANTE irá estabelecer a base para novas linhas de negócio no setor espacial, contribuindo para reforçar a posição de Portugal no panorama internacional do espaço.

O projeto, liderado pelo grupo TEKEVER – que integra nove empresas reputadas no setor –, conta com a colaboração de 10 centros de I&D de referência, assim como com o apoio de organizações como a Autoridade Marítima Nacional ou o IPMA, e, ainda, de empresas nacionais e internacionais.

A participação do IT (polo de Aveiro) no consórcio baseia-se no desenvolvimento de soluções de rádio, nomeadamente a integração de cabeças de rádio para bandas de 5GHz a 30 GHz, que irão posteriormente ser integradas com a componente de comunicações e radar.

 

20 anos de exploração espacial com selo português

O segmento “espacial” do INFANTE inclui um microssatélite modular e de baixo custo, equipado com um rádio definido por software com funções de vigilância aérea e marítima, sistema de propulsão para manutenção de órbitra, painéis solares, entre outros. Já o segmento do “solo” inclui o desenvolvimento de um novo sistema para montagem, integração e teste expeditos – adaptado a pequenos satélites e lançamentos frequentes – e um data hub para agregar, processar e disseminar informação.

Refira-se que o INFANTE simboliza o mais recente passo no caminho até ao espaço que, iniciado pelo New Space, tem vindo a ser percorrido pelas empresas e instituições portuguesas nos últimos 20 anos.

 

 

 

imprimir
tags
outras notícias