conteúdos
links
tags
Conferências
Evento decorre a 19 e 20 outubro no Complexo Pedagógico da UA
UA recebe Fórum anual da Associação Portuguesa de Estudos Franceses (APEF)
UA estás entre as 2,5 por cento de universidades melhores do mundo
A Universidade de Aveiro (UA) vai receber o Fórum anual da Associação Portuguesa de Estudos Franceses (APEF), especialmente dirigido a docentes e investigadores de estudos franceses, nos dias 19 e 20 de outubro. O encontro, no Complexo Pedagógico, Científico e Tecnológico da UA, decorre sob o tema "Corps, rythmes et voix. Pour une poétique de la voix en littérature et dans d’autres pratiques de langage"/ "Corpos, ritmos, vozes. Para uma poética da voz na literatura e noutras práticas de língua".

Cofundada há quase duas décadas e dirigida então por uma docente da UA, a APEF foi galardoada pela Academia Francesa com o prémio Hervé Deluen em 2014, e reconhecida como Centro de Formação Acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua da Universidade do Minho.

Do vasto programa que integra este Fórum, organizado pelo Departamento de Línguas e Culturas da UA, em torno de uma temática interdisciplinar e no quadro da investigação em estudos franceses – a poética da voz na literatura e noutras práticas de língua -, destaca-se a presença de Serge Martin e Arlette Bouloumié.

Presentes investigadores Serge Martin e Arlette Bouloumié

Serge Martin é professor de Literatura contemporânea de língua francesa e de Didática da literatura e das artes, na Universidade da Sorbonne Nouvelle - Paris III, integra as equipas de investigação “Didactique des langues, des textes et des cultures” (DILTEC) e “Théories et histoires des arts et des littératures de la modernité, XIXe-XXIe” (THALIM); dirige investigação nos programas doutorais em Langage et langues : description, théorisation, transmission e Littérature générale et comparée. A sua investigação incide sobre a “poética da voz”, a “antropologia da relação na e pela literatura”, e o “ensino do francês, da literatura, da literatura para a infância e juventude, da poesia e antropologia da relação pedagógica”. Dinamiza vários grupos de partilha on line na plataforma hypothèse.org e publicou entre outras obras: Poétique de la voix en littérature de jeunesse. Le racontage de la maternelle à l’université, Paris, L’Harmattan, « Enfance et langages », 2014 ; Voix et relation : une poétique de l’art littéraire ‘où tout se rattache’, Marie Delarbre Éditions, « Théories », 2017. Publica também poesia sob o nome de Serge Ritman.

Arlette Bouloumié é a especialista de referência da obra de Michel Tournier (1924-2016). É professora de Literatura francesa moderna e contemporânea na Universidade de Angers desde 1998, onde dirige o “Centre d’Etudes et de Recherches sur l’Imaginaire, Ecriture et Culture” (CERIEC), o Mestrado em investigação “Cultures et critiques du texte en littérature, langue et civilisation » e a revista Recherche sur l’Imaginaire. É ainda responsável pelo espólio de Michel Tournier e Jean-Loup Trassard na Biblioteca universitária de Angers e sua dinamizadora. Desenvolve investigação sobre o romance francês e francófono nos séculos XIX e XX, mitos, reescrita e intertextualidade na obra de Michel Tournier.  Publicou entre outras obras: Michel Tournier, le roman mythologique, Paris, Éditions Corti, 1988 ; Arlette Bouloumie commente ‘Vendredi ou les Limbes du Pacifique’, Paris, Gallimard, coll. Foliothèque, n°4, 1991.

Homenagem a Michel Tournier

Este Fórum pretende de algum modo prestar também uma homenagem à figura de Michel Tournier, escritor que em 1992 honrou a UA com a sua presença.

Nome consagrado pela história da literatura francesa da segunda metade do século XX, e membro da Academia Goncourt, a sua simpatia e disponibilidade ficam na memória de todos aqueles que com ele puderam partilhar a sua reflexão sobre a sua escrita, de profundas raízes filosóficas, mas veículo de uma linguagem poética que cativa o seu leitor, pelo diálogo estimulante entre realismo e imaginário, duplamente dirigida a adultos mas também a crianças e jovens. Destacamos títulos como Vendredi, ou les limbes du Pacifique (1967, Grand prix du roman de l’Académie française), e a sua reescrita em Vendredi , ou la vie sauvage (1971),  evocando personagens como Robinson Crusoe (Daniel Defoë), ou ainda as colectâneas Sept contes (objecto de publicação de carácter didático na Porto Editora,  em 2003, por Lúcia Bandeira e Conceição Maltez, ex-alunas do Mestrado em Estudos Franceses no DLC), ou  Le Médianoche amoureux, que passou a integrar a coleção Folio Gallimard no ano da visita de Michel Tournier à Universidade de Aveiro. Temáticas como a da identidade, ou os mitos que, como germanista, revisita, bem como o sentido da História europeia recente (v. Le Roi des Aulnes/O Rei dos Álamos, galardoado com o Prémio Goncourt em 1970), constituem o cerne da sua obra, sobre a qual o autor reflectiu em Le Vent paraclet (1978).

imprimir
tags
evento relacionado
 
outras notícias