conteúdos
links
tags
Conferências
Evento decorre a 15 e 16 de junho em Malta
UA presente no High-Level Event of Maritime Spatial Planning in Europe
Fátima Lopes Alves
Fátima Lopes Alves, docente do Departamento de Ambiente e Ordenamento e investigadora do Centreo de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Aveiro (UA), é oradora convidada da Direcção-Geral dos Assuntos Marítimos e das Pescas (DG MARE), da Comissão Europeia para apresentar a experiência portuguesa de Gestão Integrada das Zonas Costeiras e Marinhas, no evento europeu 'Maritime Spatial Planning Conference – Addressing Land-Sea Interactions'. A conferência contará com especialistas dos diferentes Estados-membros que irão partilhar as experiências de ordenamento e governação das zonas de interface terra-mar.

O evento que irá decorrer nos dias 15 e 16 de junho  em St Julian’s (Malta) antecede a reunião dos Grupos de Peritos, dos Estados-membros da EU, de Gestão Costeira Integrada (Expert Group on Integrated Coastal Management) e de Ordenamento do Espaço Marítimo (Expert Group on Maritime Spatial Planning), que decorrerá nos dias 13 e 14 de junho.

A DG MARE (CE) organiza este evento internacional de dois dias para abordar o tema das Interações Terra-Mar no âmbito da implementação das mais importantes diretivas europeias em matéria de política ambiental e de planeamento territorial das zonas costeiras e do mar: Diretiva Europeia sobre Ordenamento do Espaço Marítimo, Diretiva Europeia Estratégia Marinha e, Diretiva Quadro da Água.

A interação terra-mar (Land-Sea Interactions - LSI) é um fenômeno complexo, envolvendo processos naturais em toda a interface terra-mar e o impacto das atividades humanas nesta zona. No processo de Ordenamento do Espaço Marítimo, é essencial considerar as dinâmicas que ocorrem entre a terra e o mar. Sendo mais evidente para setores como o transporte marítimo ou a energia eólica offshore, é também de elevada importância para a gestão da qualidade ambiental dos oceanos e das zonas costeiras. Também é importante garantir que o planeamento espacial seja conduzido de forma integrada em áreas marítimas e terrestres através de mecanismos institucionais adequados. É neste sentido que a Diretiva do Ordenamento do Espaço Marítimo exige que os Estados-Membros considerem as LSI na preparação dos planos de ordenamento do espaço marítimo.

Mais informações aqui

 

 

 

imprimir
tags
outras notícias