conteúdos
links
tags
Entrevistas
Professor UA – Ciro Martins, Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda
“Na ESTGA os estudantes não são números”
Ciro Martins
Se o modelo de aprendizagem assente em projetos fomenta o trabalho em equipa, a liderança e o empreendedorismo, o ambiente familiar desenvolve outros valores, tão ou mais importantes como a amizade, a camaradagem ou a entreajuda. Porque na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA), garante o professor Ciro Martins, “não importa só formar mentes brilhantes, mas também mentes humanas”.

Diretor da Licenciatura em Tecnologias da Informação  da ESTGA, Ciro Martins é também investigador do Instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro (IEETA) da Universidade de Aveiro (UA).

Licenciado em Matemática/Informática pela Universidade da Beira Interior, mestre em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores pelo Instituto Superior Técnico e doutorado em Engenharia Informática pela UA, Ciro Martins já foi investigador no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores e no Spoken Language Systems Lab.

Professor há 18 anos (deu aulas nas áreas da informática e programação na Universidade Católica Portuguesa e no Instituto Superior de Entre Douro e Vouga) é desde 2009 docente na ESTGA.

Qual o segredo para se ser bom professor?

“Ser bom professor” é, e sempre será, um conceito muito relativo. Julgo existir, contudo, um pilar basilar: honestidade e paixão. Como disse um dia o famoso físico Albert Einstein: “Não tente ser um homem de sucesso, tente ser um homem de valor”. Importa por isso ser um profissional honesto e com verdadeira e genuína paixão pela profissão. Dessa forma é possível fazer a diferença na vida dos estudantes.

Por outro lado, a adaptabilidade será sem dúvida outra das características que o professor do século XXI terá de possuir. Como diz o provérbio Árabe, “Quem deixa de aprender, deve deixar de ensinar”.

O que mais o fascina na profissão docente?

Tal como na música de Sérgio Godinho, ver os estudantes “com um brilhozinho nos olhos”! Sim, quando conseguimos passar a mensagem, e se dá o clique no seu processo de aprendizagem, é verdadeiramente um momento fascinante. E claro, o sucesso letivo, profissional e pessoal dos nossos estudantes. Preenche-nos o ego!

Como qualifica a formação que é dada aos estudantes na ESTGA?

Como diria o poeta, “valores mais altos se levantam”… ou melhor, se cultivam na ESTGA. Fruto do Modelo de Aprendizagem Baseado em Projetos (MABP), aplicado em particular no curso do qual sou diretor [Licenciatura em Tecnologias da Informação], os nossos estudantes desenvolvem competências técnicas e outras aptidões importantes para um excelente desempenho profissional, como o trabalho em equipa, a liderança, a capacidade de comunicação e o espírito empreendedor.

Por outro lado, o facto de sermos uma escola de pequena dimensão permite que os valores humanos, o espírito de sacrifício e a entreajuda sejam práticas saudáveis e complementares à formação técnica dos nossos estudantes.

Hoje não importa só formar mentes brilhantes, mas também mentes humanas. E muitos dos nossos estudantes pelo seu esforço, pela sua dedicação, e pelo seu espírito de entreajuda, são verdadeiras mentes humanas!

Que grande conselho daria aos estudantes?

“Sangue, Suor e Lágrimas”! Nunca se esqueçam que desistir é fácil, persistir é que custa. Só com muito trabalho e suor é possível obter os resultados desejados, as lágrimas do contentamento.

Lembrem-se do provérbio Chinês: “Os Professores abrem a porta; Mas vocês têm que entrar por vocês mesmos”.

Houve algum aluno que mais o tivesse marcado? Porquê?

Na ESTGA os estudantes não são números… não são só mais um. Têm nome, são a família “ESTGA”. Por isso, é sempre com imenso orgulho e prazer que ouço palavras de reconhecimento dos nossos estudantes, palavras que nos marcam e nos fazem crescer e procurar ser melhores como profissionais e seres humanos.

Pode contar-nos um episódio curioso que se tenha passado com estudantes?

Uma das situações mais penosas é sem dúvida deparar-me com episódios de jovens lutadores, dedicados e trabalhadores, mas que por contingências injustas da vida se vêm privados de prosseguir o caminho académico que tanto desejam. E infelizmente, foram já vários os casos que me deixaram um sabor amargo de “perda”. Apesar de todos os esforços institucionais e mesmo de índole pessoal…

Como recompensa, fica o orgulho nos nossos estudantes que, tanto a nível dos seus estágios curriculares como a nível das colocações profissionais, conseguem ficar à frente de outros de escolas de renome, não só pelos seus conhecimentos técnicos mas essencialmente pelos valores humanos e competências transversais que foram adquirindo ao longo do seu percurso na ESTGA.

descrição para leitores de ecrã
A alma e o coração cheios de orgulho com o sucesso profissional dos estudantes são dos maiores prazeres de Ciro Martins

Traço principal do seu carácter

Adaptabilidade

Ocupação preferida nos tempos livres

Apicultura e ténis

imprimir
tags
outras notícias