conteúdos
links
tags
Cultura
Atividades decorem de 26 de abril a 26 de maio
Instituto Confúcio da UA assinala dois anos com vasto programa de atividades
Instituto Confúcio assinala dois anos na UA e na região
Com um vasto leque de atividades desenvolvidas, desde a sua criação, em prol da divulgação da cultura chinesa e da promoção das relações entre Portugal e a China, o Instituto Confúcio da Universidade de Aveiro (IC-UA) mostra as muitas razões para brilhar no seu segundo aniversário. No próximo ano letivo o IC-UA prevê contabilizar cerca de 1500 alunos da região a aprenderem mandarim. O programa comemorativo desenrola-se ao longo de um mês, de 26 de abril a 26 de maio.

Além dos projetos de ensino de mandarim que estão decorrer em S. João da Madeira, em Vale de Cambra, no Instituto Duarte Lemos, e no Centro de Educação Integral, em S. João da Madeira, no próximo ano letivo, arranca o projeto o ensino de chinês no 3.º ano das escolas do ensino básico de Espinho. Por essa ocasião, o número de alunos envolvidos na aprendizagem de mandarim no IC-UA e nas escolas da região rondará o milhar e meio.

Ao longo dos últimos meses, o IC-UA promoveu o Congresso Internacional “Diálogos Interculturais Portugal-China”, entre 15 e 17 de fevereiro, com exposições de pintura, de caligrafia e de tradução de obras da literatura portuguesa para chinês, bem como um espetáculo de teatro de temática chinesa e um concerto musical. Houve ainda uma exposição de instrumentos musicais chineses no Museu de Aveiro, entre 15 de fevereiro e 19 de março, com cerca de 1000 visitantes e 16 workshops realizados para as escolas de Aveiro, dinamizados por Énio de Souza, do Centro Científico Cultural de Macau.

No ano passado, o IC-UA lançou o I Prémio de Artes “Lendas da China”, premiando trabalhos nas áreas de “Arte”, “Design” e “Música, e o lançamento da II edição desta iniciativa é uma das atividades que marcará o programa do segundo aniversário. O concurso destina-se a residentes em Portugal e tem o objetivo de reconhecer e incentivar a prática artística e do design como fator de divulgação e desenvolvimento da cultura chinesa.

O programa do segundo aniversário inclui ainda um ciclo de cinema que aborda temáticas relacionadas com a China e que se desenrola de 28 de abril a 26 de maio em dois locais: Teatro Aveirense e anfiteatro 3.1.15 da UA. As sessões de 28 de abril, que inclui o documentário “Arrivederci Macau”, e de 2 de maio, com o filme “Amor e dedinhos de pé”, decorrem com a presença dos realizadores de ambas as obras, respetivamente, Rosa Coutinho Cabral e Luís Filipe Rocha. Para 26 de maio está marcada uma mesa redonda com os realizadores Rui Nunes, Rui Filipe Torres e Bruno Mendes da Silva.

Palestras e workshops, atividades culturais, música, dança do dragão, demonstração de artes marciais e um concurso de língua chinesa são outras atividades previstas no programa. De registar igualmente a realização do 1.º torneio universitário de artes marciais inter-estilos, que acontece a 13 de maio, no pavilhão do Bom Sucesso, e que conta com a participação de praticantes de sete instituições de ensino superior nacionais.

O programa pode ser consultado no ficheiro PDF anexo a esta notícia.

imprimir
tags
ficheiros associados
evento relacionado
 
outras notícias