conteúdos
links
tags
Investigação
Parceria com a Fundação PT – CIC.Digital/DigiMedia
Fundação PT associa-se a projeto de pós-doutoramento para a promoção do acesso à audiodescrição televisiva
Fundação PT associa-se a projeto de pós-doutoramento do CIC.Digital/DigiMedia do DeCA
A Fundação Portugal Telecom, instituição de utilidade pública que intervém nas áreas da Saúde, Educação e Acesso às Comunicações, associou-se ao projeto de pós-doutoramento de Rita Oliveira, investigadora da Unidade DigiMedia (digimedia.web.ua.pt) do Departamento de Comunicação e Arte (DeCA). O projeto tem como principal objetivo a promoção do acesso à audiodescrição televisiva por parte de utilizadores com défice visual, propondo uma abordagem inovadora à forma tradicional de criação de audiodescrição para Televisão, baseada no voluntariado e na colaboração entre telespectadores.

A audiodescrição (AD) é um recurso especialmente dirigido a pessoas com défice visual, permitindo que estas tenham acesso, via áudio, à descrição de conteúdos visuais (p. ex.: programas televisivos), nos quais um locutor faz a descrição das cenas que não são percetíveis pela pessoa com défice visual; esta locução é tipicamente emitida de forma alternada com as falas das personagens.

A RTP1 é a única estação televisiva em Portugal que transmite alguns dos seus programas (nomeadamente séries nacionais) com audiodescrição, sendo que os telespectadores com défice visual podem aceder à audiodescrição por duas vias: rádio - sintonizando a Onda Média da Antena 1 ou TDT - ativando a opção de AD no televisor ou descodificador.

Estas opções excluem, à partida, os clientes de serviços de TV pagos. No sentido de modificar a conjuntura desfavorável à audiodescrição televisiva nacional, torna-se relevante o aperfeiçoamento deste serviço.

Com o projeto de pós-doutoramento de Rita Oliveira, orientado pelos Professores Jorge Ferraz de Abreu e Ana Margarida Almeida, do Departamento de Comunicação e Arte, pretende-se, por um lado, tornar a oferta de audiodescrições mais alargada, através do desenvolvimento de uma aplicação multiplataforma para a criação de contribuições individuais ou colaborativas realizadas por voluntários e, por outro, alterar o modo como a audiodescrição é acedida pelas pessoas com défice visual, através do desenvolvimento de uma aplicação de Televisão Interativa (iTV) acessível a este público. 

O projeto de investigação tem a duração de 36 meses e tem términus previsto para março de 2019, sendo financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) sob a bolsa número SFRH/BPD/112129/2015.

Para além da parceria com a Fundação PT, o projeto conta ainda com o apoio do laboratório AlticeLabs@UA (sob um projeto académico) e com algumas delegações da ACAPO.

A recente parceria com a Fundação PT permitirá avançar com mais robustez para a recolha de dados junto de uma amostra alargada de telespetadores com défice visual.

imprimir
tags
outras notícias