conteúdos
links
tags
Investigação
Dossier Saúde
Deteção e tratamento de doenças crónicas entre as áreas chave da investigação UA em saúde
UA faz trabalho de excelência na área da Saúde
Individualmente, em parceria entre si e/ou com unidades de investigação externas, 16 das 19 unidades de investigação associadas aos diferentes departamentos e escolas da UA produzem conhecimento na área da Saúde.

Se a abordagem do Instituto de Biomedicina da UA (iBiMED) se centra no objetivo de compreender os processos degenerativos do envelhecimento e das doenças crónicas para identificar biomarcadores e desenvolver tecnologias de diagnóstico que permitam intervir precocemente nestas doenças mais comuns a uma população envelhecida, o Laboratório Associado CICECO - Instituto de Materiais de Aveiro foca a sua investigação na deteção e tratamento de doenças crónicas, nas terapias para o tratamento de doenças resultantes de trânsito iónico deficiente, nos materiais e dispositivos médicos, nos biomateriais para medicina regenerativa, nas nanopartículas para aplicações biomédicas e na nanotoxicologia.

Por sua vez, o Instituto de Nanoestruturas, Nanomodelação e Nanofabricação – polo de Aveiro (i3N) tem centrado a sua ação no desenvolvimento de detetores de radiação e dosímetros aplicados em diagnóstico e radioterapia, novos métodos de radioterapia, assim como na investigação de sensores baseados em nano-estruturas para fins biomédicos. Entre os vários projetos para o desenvolvimento de dispositivos mais precisos e fiáveis, mais baratos e fáceis de utilizar em grandes faixas da população, está o dosímetro de radiação – um dispositivo patenteado que permite uma medida direta da dose de radiação ionizante recebida por um doente, tornando mais eficientes os tratamentos de radioterapia contra o cancro. O dosímetro encontra-se em fase de certificação para braquiterapia prostática, uma das principais formas de tratamento do cancro da próstata.

A Unidade de Investigação de Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) tem contribuído para o desenvolvimento de compostos/materiais com caraterísticas adequadas para atuarem como agentes antimicrobianos, antioxidantes, anti-inflamatórios, anticancerígenos e antitumorais. No campo da oncologia, um exemplo é a terapia de captação de neutrões pelo boro (B), mais conhecida por BNCT, que se baseia numa reação nuclear que ocorre a nível celular e gera uma energia linear de alta transferência com um alcance curto, provocando danos apenas nas células tumorais. Uma vez que ainda não existe uma droga eficaz para esta terapia, este projeto visa desenvolver novos agentes contendo 10B mais seletivos e mais eficientes para o glioblastoma multiforme, um tumor cerebral maligno.

É no campo da biomecânica, dos biomateriais e da obtenção de tecido cartilagíneo funcional que o Centro de Tecnologia Mecânica e Automação (TEMA) intervém, apresentando como inovadora a utilização de grafeno na medicina regenerativa. Nesta área, está, por exemplo, em curso um projeto que a longo prazo permitirá desenvolver in vitro diferentes tecidos biológicos aptos a corrigir, otimizar ou mesmo substituir a funcionalidade e/ou morfologia de tecidos celulares danificados ou inviáveis de pacientes crónicos ou vítimas de acidentes.

Para além de trabalhos na área da avaliação da qualidade ambiental, principalmente relacionados com a contaminação por mercúrio na Ria de Aveiro (avaliação do risco ambiental direto nas comunidades piscícolas e risco do consumo de peixe para a saúde humana), a ação do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) engloba investigação na área da resistência a antibióticos, sendo de destacar o desenvolvimento e registo de propriedade de uma base de dados (integral.bio.ua.pt) que reúne informação sobre plataformas genéticas muito significativas para a dispersão de genes de resistência, bem como o projeto StARE (Stopping Antibiotic Resistance Evolution) que visa contribuir para a proteção da saúde dos cidadãos europeus, minimizando o impacto das descargas de águas residuais no ambiente e contribuindo para a sustentabilidade e segurança do ciclo urbano da água.

De entre os resultados da investigação do CESAM que relaciona a poluição atmosférica e a saúde pode destacar-se o recentemente concluído projeto europeu LIFE+AIRUSE que se focou em medidas para reduzir a presença de partículas no ar que respiramos em países do sul da Europa e o projeto CLICURB – Qualidade da Atmosfera Urbana, Alterações Climáticas e Resiliência – que pretendeu dar resposta aos riscos e equacionar soluções para os desafios das alterações climáticas em cidades, tendo como caso de estudo, a área urbana do Porto.

Ainda na área do Ambiente, o Grupo de Emissões, Modelação e Alterações Climáticas tem desenvolvido vários projetos (ex.: SAUDAR– Saúde e o Ar que Respiramos – 2004-2008; o FUMEXP – Exposição de Bombeiros ao Fumo e Efeitos na Saúde –2010-2013; ou o ainda em curso FUTURAR – Qualidade do Ar em Portugal em 2030 – apoio à decisão política) com o objetivo de estudar a relação causa-efeito entre a poluição atmosférica e a saúde humana, bem como contribuir para o apoio e sensibilização dos decisores políticos e da população em geral para os problemas de saúde que podem decorrer da poluição atmosférica, no presente e no futuro.

descrição para leitores de ecrã

O Instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro (IEETA) tem vindo a trabalhar o desenvolvimento de novas soluções computacionais destinadas a tratamentos personalizados, apostando na investigação em informática biomédica e em novas soluções de tecnologia da informação para a saúde, em busca das melhores ferramentas clínicas para o diagnóstico e terapia. A sua ação na área da Informática e das Tecnologias Biomédicas tem tido um enorme impacto nacional e internacional, como atestam os recentes projetos europeus EU-ADR, GEN2PHEN, EMIF e RD-Connect – uma plataforma que unifica métodos e ferramentas bioinformáticas que permitam a análise de dados clínicos, moleculares e registos relacionados, para permitir a descoberta de ações terapêuticas para doenças genéticas. Desta Unidade de Investigação (UI) têm saído várias spin-offs e start-ups na área da saúde, tais como a SWORD Health, a BMD Software e a Biodevices.

O estudo, especificação, desenvolvimento e validação de aplicações e serviços de promoção da saúde, plataformas e ferramentas de e-health, de m-health e iTV (televisão interativa), soluções de apoio a indivíduos com necessidades especiais,aplicações de monitorização pessoal de saúde e apoio à reabilitação, soluções de apoio à população sénior e plataformas e ferramentas de apoio a comunidades clínicas tem sido trabalho do Comunicação, Informação e Cultura Digital (CIC.Digital/Digimedia) que inscreve a sua atuação no campo da comunicação e saúde recorrendo ao contributo dos meios digitais.

A perspetiva dos efeitos benéficos/terapêuticos dos materiais geológicos para a Saúde tem sido o tipo de abordagem da Geociências, Geoengenharias e Geotecnologias (GeoBioTec), cujo trabalho de investigação já permitiu o desenvolvimento de formulações de dermofármacos e dermocosméticos, o uso de pedra-pomes como esfoliante em sabonetes, a aplicação da seiva do caule e da folha do inhame no processo de cicatrização de feridas, assim como a aplicação de lamas termais e pelóides para tratamento da psoríase e de doenças osteoarticulares. Todos estes produtos são aplicados em duas clínicas construídas para o efeito na ilha de Porto Santo. De referir é ainda o projeto NewSkinTech que visou o desenvolvimento de um equipamento com requisitos de dispositivo médico para a transmissão transdérmica de pelóides, orientado para a medicina física e de reabilitação – o edersensae®.

A intervenção científica do Centro de Investigação e Desenvolvimento em Matemática e Aplicações (CIDMA) passa pela análise, tratamento de dados e modelação em projetos relacionados com Epidemiologia, Oftalmologia, Fisioterapia, Terapia da Fala e Gerontologia. Por exemplo, para o Centro de Simulação Clínica da UA, o CIDMA desenvolve ferramentas de simulação e educacionais associadas à simulação médica, permitindo o aumento do realismo dos cenários e dos pacientes simulados. Sendo a modelação e a estatística aplicada as áreas chave da sua ação, esta UI trabalha também no desenvolvimento ou adaptação de novas escalas ou instrumentos para medir o risco de hospitalização de pessoas séniores numa urgência, no estudo da dor em adolescentes, na identificação de fatores de risco pré-cirúrgicos em adultos submetidos a uma artroplastia da anca, ou em estudos farmacológicos de bioequivalência.

A RIscos e Sustentabilidade na Construção (RISCO) tem-se debruçado sobre o papel dos materiais de construção, particularmente dos revestimentos, na busca de soluções que englobem a interligação da ventilação natural com a utilização de materiais adequados que não gerem contributos nocivos para a saúde, tendo já demonstrado ser possível desenvolver materiais com caraterísticas térmicas melhoradas, através da utilização da cal aérea como ligante. Esta UI, em parceria com investigadores do CIDFTT e CIC.Digital/Digimedia, tem também investido na melhoraria e inovação de métodos relacionados com o ensino de questões de segurança e saúde nas salas de aula, prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais quer na escola, quer mais tarde nos locais de trabalho.

Na área da formação, especificamente na formação dos cuidadores informais da pessoa idosa dependente, tem trabalhado o Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDFTT) que, também, já pôs em funcionamento um Gabinete de Apoio ao Cuidador Informal na Unidade de Saúde Familiar “Ao Encontro da Saúde”, na Trofa, ativo desde 2013.

No Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde – polo de Aveiro (CINTESIS), para além de um conjunto de projetos na área do apoio psicológico a doentes crónicos, seus familiares e cuidadores, ou do impacto da insatisfação com a aparência, um outro trabalho permitiu introduzir em Portugal a avaliação da capacidade para o trabalho e fatores psicossociais do mesmo, bem como servir de referência ao Healthy Workplaces Award que premeia as empresas com melhores desempenhos nas condições para o trabalho.

A Unidade de Investigação em Governança, Competitividade e Políticas Públicas (GOVCOPP) está a desenvolver um estudo para definir as necessidades de médicos e enfermeiros até 2040 e os correspondentes numerus clausus para os cursos respetivos.

No âmbito dos projetos de doutoramento orientados por membros integrados do Centro de Estudos em Música e Dança (INET-Md) têm vindo a ser desenvolvidas teses que cruzam a área da música e as ciências da saúde, designadamente no que diz respeito a aspetos associados à ansiedade durante a performance, ao desempenho corporal, aos problemas musculares diretamente relacionados com a prática do instrumento e também à voz.

Por fim, o Laboratório de Design de Serviços em Saúde da Unidade de Investigação em Design, Média e Cultura (ID +) tem centrado a sua investigação na relação entre o Design e a Saúde. O desenvolvimento de estratégias personalizadas de comunicação entre doentes com Alzheimer, as suas famílias e cuidadores; o desenvolvimento de materiais inclusivos para adolescentes com necessidades educativas especiais e a criação de uma aplicação facilitadora da aquisição de conceitos pelas crianças surdas, são alguns dos projetos em marcha.

Nota: este artigo foi publicado na edição número 26 da revista Linhas.
imprimir
tags
outras notícias