conteúdos
links
tags
Campus
Acordo incide sobre a reabilitação, saúde e ecologia de animais marinhos
Oceanário de Lisboa firma parceria com a UA
Parceria com vista à recuperação, saúde e ecologia de animais marinhos
A Universidade de Aveiro (UA) e o Oceanário de Lisboa assinaram um acordo de parceria a 19 de agosto, que vigorará por um ano, com possibilidade de renovação, consolidando a colaboração que já existia anteriormente. O documento enquadra a colaboração na área das ciências marinhas aplicadas à reabilitação, saúde e ecologia de animais marinhos a desenvolver pelo Centro de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (CPRAM), unidade integrante do ECOMARE-Laboratório para a Inovação e Sustentabilidade dos Recursos Biológicos Marinhos, sob responsabilidade da UA.

O envolvimento do Oceanário de Lisboa nas atividades do CPRAM vem alargar, de modo muito expressivo, o âmbito das parcerias que tornam possível o ECOMARE e que já envolviam a Sociedade Portuguesa da Vida Selvagem, a Administração do Porto de Aveiro e a Câmara Municipal de Ílhavo. No texto do protocolo é considerada a mais-valia da experiência do Oceanário de Lisboa, nomeadamente quanto à manutenção de animais em cativeiro, “sendo uma marca reconhecida e devidamente estabelecida a nível nacional e internacional, e que visa promover a reabilitação, saúde e ecologia de animais marinhos, impondo para tal os mais elevados padrões de qualidade”. Por outro lado, a associação ao CPRAM “é determinante para a excelência da atuação deste centro e para a prossecussão do interesse público que lhe será consignado”.

O CPRAM tem as seguintes finalidades: prestar apoio à comunidade científica, educacional, empresarial e industrial, bem como disponibilizar equipamentos e recursos integrados nesta infraestrutura a investigadores externos; otimizar a utilização de equipamento científico e de outros recursos baseados no conhecimento dos vários parceiros, intervir no resgate, recuperação e devolução ao meio natural de animais marinhos, assim como na manutenção de animais irrecuperáveis; criar uma agenda de investigação e divulgação da biodiversidade costeira e oceânica e da ecologia e saúde dos animais marinhos; estruturar as suas valências para a criação de uma unidade de resposta em caso de derrame de hidrocarbonetos.

O ECOMARE será composto, para além do CPRAM, pelo Centro de Extensão e de Pesquisa Ambiental e Marinha (CEPAM) e por uma biblioteca de organismos vivos – Biblioteca de Invertebrados Marinhos e Simbiontes Microbianos, entre outras valências.

imprimir
tags
veja também
 
outras notícias