conteúdos
links
tags
Entrevistas
Antigo Aluno UA – Sérgio Fernandes, licenciado em Gestão e Planeamento de Turismo
No topo mundial da consultadoria imobiliária
Sérgio Fernandes
É o diretor do Departamento de Retail da JLL. Dito assim, quase que parece simples, não estivéssemos a falar da consultora imobiliária multinacional que a revista Fortune tem entre as 500 maiores empresas do mundo. Chama-se Sérgio Fernandes e é o responsável pelo trabalho de dezenas de profissionais que tudo fazem para satisfazer em pleno as ambições de grandes investidores mundiais. Razões para o êxito? O “espírito abrangente” da Licenciatura em Gestão e Planeamento de Turismo que Sérgio Fernandes fez na Universidade de Aveiro (UA) e que lhe permite ter hoje uma “visão multidisciplinar” fundamental para vencer.

Terminou a formação no Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo em 2005 (atualmente o DEGEIT tem à disposição a Licenciatura e o Programa Doutoral em Turismo e o Mestrado em Gestão e Planeamento em Turismo). No mesmo ano, Sérgio Fernandes, hoje com 35 anos, começou a trabalhar na CPU Consultores desempenhando várias funções.

Seguiu-se, entre 2008 e 2010, nova experiência profissional  na Sonae Sierra, na Maia, como asset manager de Centros Comerciais em Portugal. Rumou depois para Espanha, primeiro para a Unibail-Rodamco, como operating manager de Centros Comerciais, depois, e antes de abraçar a JLL, para a Metro Properties, como head of asset management Southern Europe com responsabilidades em Portugal, Espanha, França e Itália.

Quais os motivos que o levaram a estudar na UA?

A realidade é que a minha primeira opção foi Braga dado que já conhecia a cidade e estava bastante mais próxima de Montalegre, a cidade onde residem os meus pais. Dado que procurava um curso de Gestão numa Universidade moderna e inovadora com uma forte proximidade ao tecido empresarial, a segunda opção, e dadas as semelhanças com a UM, foi a UA. 

O curso correspondeu às suas expectativas? E a UA?

Embora durante o curso tenha sentido uma certa frustração por ser demasiado generalista, hoje em dia acho que correspondeu claramente às minhas expectativas e às minhas necessidades profissionais. Relativamente à UA, as expectativas eram altas e corresponderam claramente ao esperado, sendo hoje em dia, tal como já o era, uma referência académica de qualidade e inovação bem como arquitetónica e turística.  

O que mais o marcou na UA?

É difícil destacar um momento ou um episódio em particular dado que foram muitos. Destacaria o associativismo académico na Associação de Gestão e Planeamento em Turismo da Universidade de Aveiro (AGPTUA), onde as lutas pelos direitos dos alunos, num processo de transição curricular, foram muitas e variadas bem como os vários projetos de integração profissional junto do tecido empresarial.

Quanto a professores destacaria os professores Roque da Cunha, Arménio Rego e Carlos Costa que contribuíram de forma marcante na pessoa e profissional que sou hoje em dia.

Sempre soube a profissão que queria seguir?

Não. Aliás, o meu percurso profissional é resultado de um misto de oportunidades, necessidades e circunstâncias pessoais. Sempre pensei que iria trabalhar no setor turístico na área da gestão e ou investimento. Contudo a minha experiência nesse setor foi bastante breve, acabando por dedicar-me quase exclusivamente ao mundo imobiliário.

Como descreve a sua atividade profissional?

A minha atividade profissional ao longo dos últimos 10 anos foi marcada pela mobilidade, flexibilidade e versatilidade. Mudei várias vezes de cidade, de empresa, de país, de funções e de responsabilidades o que representa o espírito abrangente da licenciatura que permite ter uma visão multidisciplinar.

O que mais o fascina na sua atividade?

Atualmente o fascinante da minha profissão é a diversidade e multidisciplinariedade. Trabalho numa consultora imobiliária internacional liderando o departamento de Retail composto por quatro departamentos com mais de 50 profissionais em dez cidades diferentes oferecendo vários serviços (gestão integral de centros comerciais, marketing, speciality leasing, gestão patrimonial, asset management, consultoria, comercialização e pré-comercialização de novos projetos comerciais, High Street, Tenant Representation, entre outros) para mais de 30 clientes nacionais e internacionais. O meu dia divide-se entre clientes (atuais e potenciais), gestão de equipas e resultados, além de participar nas reuniões de direção locais e internacionais da empresa.

Que competências adquiridas na UA entende terem sido fundamentais para o exercício da sua profissão?

Incrivelmente, e contrariamente ao que pensava quando estudava, utilizo diariamente vários conceitos, conhecimentos e competências adquiridas ao longo da licenciatura. Desde as áreas das ciências sociais, comportamento organizacional e liderança, passando pela finança, contabilidade, marketing, urbanismo, planeamento e estatística, foram todos conhecimentos base adquiridos ao longo da licenciatura.

imprimir
tags
outras notícias