conteúdos
links
tags
Distinções
Ensaio sobre a velocidade máxima de rotação dos buracos negros
Investigadores da UA voltam a ser distinguidos na Gravity Research Foundation Essay Competition
Carlos Herdeiro e Eugen Radu
Com um ensaio sobre a velocidade máxima de rotação da fronteira dos buracos negros, intitulado "How fast can a black hole rotate?", os investigadores Carlos Herdeiro e Eugen Radu, do Departamento de Física da Universidade de Aveiro (UA), concorreram ao "Gravity Research Foundation Essay Competition" de 2015 e foram distinguidos com uma Menção Honrosa. É a segunda vez que os investigadores são distinguidos com uma Menção Honrosa desta mesma competição, após um ensaio distinguido na competição de 2014, em que Carlos Herdeiro e Eugen Radu defendiam que os buracos negros têm cabelo, em referência ao físico John Wheeler que afirmou, em 1971, que os “os buracos negros não têm cabelo”.

O ensaio "How fast can a black hole rotate?" conclui que a velocidade de rotação (linear, medida em metros por segundo) da fronteira de um buraco negro – chamada “horizonte de acontecimentos” -, que gira tal como uma estrela ou outro objeto celeste, não pode ultrapassar a velocidade da luz. A fronteira de um buraco negro delimita a região do espaço-tempo aprisionada; ou seja, qualquer objeto material, ou até a própria luz, que visite esta região fica aprisionada gravitacionalmente para sempre no interior do buraco negro.

Carlos Herdeiro explica que apesar de fronteira do buraco negro não ser algo de material, sendo “apenas” geometria do espaço e do tempo – obedece ao mesmo limite de velocidade que todos os objetos materiais obedecem: a inabilidade de ultrapassar a velocidade da luz. Parte do problema é definir velocidade linear do horizonte de acontecimentos de um buraco negro de um modo significante, que foi um dos principais contributos dos autores.

O elevado nível dos trabalhos concorrentes ao "Gravity Research Foundation Essay Competition" é conhecido. Esta competição, que teve início em 1949, tem prestígio internacional, como aliás é comprovado pelo facto de,  também pelo segundo ano consecutivo, o concurso ter sido ganho por um Prémio Nobel. Este ano, o vencedor foi físico holandês Gerard 't Hooft, distinguido com o Nobel da Física em 1999.

O ensaio está disponível em:
http://arxiv.org/abs/1505.04189


Resultados da competição estão disponíveis em:
http://www.gravityresearchfoundation.org/announcements.html

imprimir
tags
outras notícias