conteúdos
links
tags
Opinião
Anabela Botelho escreve sobre trabalho do economista distinguido com o Nobel
Jean Tirole: um dos mais influentes economistas a nível mundial
Anabela Botelho
A relevância do trabalho do francês Jean Tirole que motivou a atribuição do Prémio Nobel da Economia a este professor da Universidade Toulouse 1 Capitole, é o tema do texto de opinião de Anabela Botelho, professora do Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial (DEGEI). Quem, nos dias de hoje, não ouviu falar em regulação dos mercados e de regulação do poder de algumas grande empresas? Nesta área e na economia industrial, Jean Tirole é dos investigadores mais respeitados a nível mundial.

O prémio de Ciências Económicas em memória de Alfred Nobel foi este ano atribuído ao francês Jean Tirole, professor da Universidade Toulouse 1 Capitole. Além de completar graus académicos em engenharia e matemática em escolas francesas na década de 1970, Tirole é doutorado (1981) em economia pelo MIT, EUA, com tese intitulada “Essays in Economic Theory”.

O trabalho desenvolvido por Tirole é eminentemente teórico e cobre diversas áreas da economia, desde questões relacionadas com a economia organizacional, do ambiente, da inovação até às questões mais frequentemente associadas às finanças e à macroeconomia.

Mas é o trabalho desenvolvido no âmbito da economia industrial que lhe conferiu maior notoriedade, sendo o seu livro The Theory of Industrial Organization (1988), ainda hoje, um manual incontornável para os estudantes de Economia, o que é também revelador do contributo de Tirole para o ensino da Economia.

Com este manual, reunindo um corpo de conhecimento produzido por si e outros autores, Tirole afasta uma visão mais “empírica” da economia industrial, comumente associada a um paradigma de “estrutura-conduta-desempenho”, abraçando e desenvolvendo uma visão mais “teórica”, mais formalizada e mais susceptível de contemplar detalhes institucionais, interacções estratégicas complexas e especificidades inerentes ao funcionamento de diferentes mercados.

Socorrendo-se do desenvolvimento da teoria de jogos, Tirole logrou assim dar novas respostas a velhos problemas que afligiam e afligem os reguladores, as firmas e os consumidores no que respeita à contenção do poder exercido por algumas “grandes” empresas em mercados oligopolistas. Nesta senda, e em colaboração com o seu colega e amigo de longa data Jean-Jacques Laffont (falecido 2004), Tirole apontou muitas das razões para as falhas na regulação que acompanharam as ondas de privatizações conduzidas em diversos países, mostrou que a procura de uma solução que sirva de “receita” única para regular todos os mercados e sectores de atividade é infrutífera e desenvolveu hábeis formas com que os reguladores podem contornar o problema factual de deterem menos informação sobre custos, técnicas de produção, etc, do que as empresas que regulam ou procuram regular.

É, fundamentalmente, pela importância destes contributos, traduzida nomeadamente pela sua adoção por autoridades reguladoras nos mais diversos países, que o Comité Sueco sumaria a atribuição do prémio a Tirole pela sua “análise do poder de mercado e regulação”. E é assim que, ainda que ausente das habituais “luzes” dos media, Tirole é desde há muito considerado um dos mais influentes economistas a nível mundial, exemplificando ainda na perfeição a relevância prática da investigação em teoria económica.

E é também assim que os seus contributos são presença assídua na investigação conduzida pelos professores da área de economia do DEGEI, nomeadamente no âmbito da linha de investigação em “Competitividade, Inovação e Sustentabilidade” do GOVCOPP, bem como daqueles que entre nós (e de forma pioneira em Portugal) recorrem aos métodos da economia experimental no teste de teorias económicas, métodos também adoptados por Tirole na sua já influente recente investigação sobre incentivos e tomada de decisão nas mais variadas situações económicas.

Anabela Botelho

Professora Catedrática de Economia do DEGEI

imprimir