conteúdos
links
tags
Campus
Dia 22 de fevereiro
UA lança Instituto de investigação, plataforma tecnológica e cátedra a pensar no mar
UA aposta forte na investigação e na economia do mar
Uma tem por missão coordenar e agregar as competências científicas da Universidade de Aveiro (UA) no que diz respeito à gestão do litoral e à investigação marítima e quer promover sinergias com os setores público e privado ligados ao mar. A outra quer juntar empresários, docentes e investigadores numa rede de competências no setor do mar para valorizar produtos e serviços e promover uma cultura de cooperação empresarial de base científico-tecnológica. A primeira chama-se Aveiro Institute for Marine Science and Technology (AIMare). A segunda é a Plataforma Tecnológica do Mar. As duas novas estruturas da UA, nascidas a pensar na investigação e na economia do mar, vão ser lançadas dia 22 fevereiro, a partir das 16h00.

E porque não há duas apostas sem três, o dia será ainda marcado pela apresentação da Cátedra CGD Estudos do Mar ocupada pelo investigador Graham John Pierce, uma das grandes referências mundiais em Biologia Marinha e Pescas.

José Fernando Mendes, Vice-reitor da UA, e Tiago Pitta e Cunha, consultor do Presidente da República para as áreas do Ambiente, da Ciência e do Mar, são os responsáveis encarregues da apresentação do novo Instituto que quer conquistar a liderança nacional e internacional nas ciências e tecnologias marinhas e marítimas e promover a transferência de conhecimento para as empresas portuguesas de forma a aumentar-lhes a competitividade.

A criação do AIMare, numa UA cada vez mais apostada no conhecimento do mar -desde 2004 vários departamentos e unidades de investigação da academia têm participação em 16 projectos internacionais ligados ao mar - obedece à vontade da academia em alcançar a excelência na pesquisa científica no que ao mar diz respeito e contribuir para o desenvolvimento sustentável das atividades costeiras, marinhas e marítimas, enfrentando com isso os atuais desafios regionais e globais. Necessidades e desafios de indústrias, decisores políticos e sociedade em geral, são os alvos para onde o AIMare pretende transferir conhecimento e promover sinergias de forma a apoiar e alavancar o desenvolvimento estratégico socioeconómico da região e do país no que toca ao meio marítimo.

Em linha com a estratégia Europeia, o AIMare, que, naturalmente, incorpora a experiência dos cientistas da UA e o sólido conhecimento da academia em formação, investigação e inovação, quer assim contribuir para a proteção e o desenvolvimento sustentável do meio ambiente marinho e costeiro, e dos seus recursos em particular, fornecendo orientação para a gestão e tomada de decisões. No cerne da criação do novo Instituto, para além da procura de respostas para as questões da qualidade ambiental, da saúde dos ecossistemas e das mudanças globais, está ainda o desenvolvimento tecnológico e a criação de novas oportunidades para o setor marítimo.

Promover uma estratégia concertada entre as organizações de investigação nacionais e proporcionar alta qualidade de graduação e de pós-graduação nas áreas das ciências ligadas ao mar são outros dos desígnios do AIMare.

Cátedra CGD Estudos do Mar

O lançamento do AIMare, no Auditório da Reitoria da UA, vai ocorrer durante a sessão "Inspiring Research for a Blue Economy: From the Lab to the Real World" que, igualmente, acolherá a apresentação da Cátedra CGD Estudos do Mar ocupada por Graham John Pierce, um dos maiores especialistas mundiais em Biologia Marinha e Pescas.

Mamíferos marinhos, cefalópodes, biodiversidade marinha, gestão de zonas costeiras e modelos de habitat em animais marinhos são algumas das áreas que o professor catedrático da Universidade de Aberdeen, na Escócia, trata há muito por tu. O trabalho de Pierce tem-se desenvolvido sobretudo nas águas costeiras da Península Ibérica, da Escócia, do Mediterrâneo e do Atlântico Sudoeste.

O lançamento da Cátedra financiada pela Caixa Geral de Depósitos conta com as intervenções de Manuel António Assunção, Reitor da UA, de Rui Soares, diretor central da Direção de Particulares e Negócios Centro da CGD e de Graham Pierce.

Plataforma Tecnológica do Mar

Integrada no encontro UA Innovation Clubbing, a Plataforma Tecnológica do Mar tem como propósito juntar, num espaço informal, empresários, docentes e investigadores com vista à constituição de uma rede de competências no setor do mar que irá valorizar os produtos e serviços dos setores em causa, promovendo ainda a geração de uma cultura de cooperação empresarial de base cientifico-tecnológica.

Este evento resulta do objetivo da UA em constituir Plataformas Tecnológicas para os setores chave da economia nacional, tendo ocorrido já o lançamento da Plataforma Tecnológica para o setor Agroalimentar, no dia 27 de novembro de 2012. Na sequência deste encontro foram estalecidos vários protocolos e parcerias, resultando em benefícios económicos, tanto para a Universidade como para as empresas. Estas iniciativas são a materialização da terceira missão das Universidades, a transferência de conhecimento e cooperação com a sociedade.

Apresentada às 18h00, no Restaurante Universitário, e contando com intervenções do Vice-reitor Carlos Pascoal Neto e Ribau Esteves, Presidente do Oceano XXI, a Plataforma quer reforçar a ligação Universidade-Empresas, promovendo ainda o surgimento de projetos de I&DT e dinamizando atividades complementares, integradas nos polos, clusters e associações empresariais.

A Plataforma Tecnológica do Mar é coordenada por Luís Menezes Pinheiro, professor do Departamento de Geociências da UA, que será coadjuvado por docentes e investigadores de diferentes Departamentos e Unidades de Investigação, na medida em que a estrutura integra sete áreas de atuação.

imprimir
tags
veja também
 
evento relacionado
 
outras notícias