conteúdos
links
tags
Campus
Apresentação agendada para o Auditório da Livraria, a 19 de outubro
Rui Beja: um livro, uma vida e um «regresso a casa»
Poucas obras sintetizam uma «aliança» tão perfeita entre autor, obra e editor. «A edição em Portugal 1970-2010: percursos e perspectivas» da autoria de Rui Beja, mestre em Estudos Editoriais pela Universidade de Aveiro (UA), é um desses casos. O livro tem por base a dissertação de mestrado defendida pelo autor. Com edição da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), a obra vai ser apresentada «em casa», no Auditório da Livraria da Academia Aveirense, dia 19 de outubro, pelas 15h30, pelo Vice-reitor Joaquim Costa Leite.

«Estou convicto de que a condensação sistematizada da crónica do livro e da edição em Portugal no período de 1970-2010, pode contribuir para a compreensão alargada da respetiva relevância na vida da Sociedade Portuguesa Contemporânea. Contemplando aspetos factuais e outros de índole prospetiva que, de alguma forma se baseiam no saber adquirido, pretende-se também, com a presente dissertação, sublinhar as diferenças características que a edição foi assumindo na história recente do País, os desafios que foi enfrentando com sucesso e as ameaças que podem provir da entrada de novos concorrentes no mercado editorial».

É esta a convicção inscrita na introdução da dissertação de mestrado em Estudos Editoriais, que o autor defendeu em 2011 na UA. O livro foi editado pela APEL e é objeto de apresentação na UA esta, sexta-feira, dia 19, às 15h30.

 

Sinopse do Livro

O livro apresenta cinco partes numa cronologia que percorre quatro décadas: 1970-2010. Em cada capítulo uma «lição» da edição em Portugal. A primeira parte é dedicada ao papel das editoras independentes, antes e depois de 1970.

A segunda parte do livro tem por pano de fundo o acontecimento histórico da revolução de abril, a liberdade democrática e os hábitos de leitura e difusão do livro libertados por abril. Para além do fim da censura, o autor destaca a criação de vários organismos que serviram de pilares à difusão editorial e cultural em Portugal: O Circulo de Leitores (1971) e a criação do Instituto Português do Livro (1980). Rui Beja aponta ainda as linhas principais da política cultural dos anos 80 – a rede de bibliotecas públicas e a rede de bibliotecas escolares. Mais tarde, e ainda neste capítulo, destaca a importância da «Feira de Frankfurt» e o sucesso do Plano Nacional de Leitura.

Nos dois capítulos seguintes, o autor dedica-se à concentração livreira e editorial referindo-se aos espaços dos hipermercado e a Livrarias com a Bertrand ou Fnac. Não deixa de abordar, ainda, a lei de regulação do mercado. Na quarta parte aponta a sua visão pessoal sobre a «cisão e reunificação do Movimento Associativo».

O último capítulo do livro é dedicado à designada «revolução digital» e a formação de novos paradigmas culturais que o processo de globalização e o livro digital desencadeiam.

 

Uma vida dedicada aos livros 

Dos números às letras. Poderia ser um entretítulo para o percurso de vida percorrido por Rui Beja. Nasceu em Lisboa, em 1944. A formação em Controlo Financeiro é obtida no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa. Em 1971 fica ligado ao maior grupo de comunicação europeu – Bertelsmann, assumindo a direção financeira e mais tarde coadjuva na administração a gestão daquele grupo alemão. 

Em 1992 assume a presidência do Circulo de Leitores, lugar que mantém até 2001. A inovação, o ritmo empreendedor que imprime àquela direção ficará escrita na história da edição em Portugal. A criação da editora Temas& Debates (1994) e da Fundação Circulo de Leitores (1995), as iniciativas do Prémio Literário José Saramago e as Olimpíadas da Leitura, ambos de 1998 representam o testemunho de uma plurifacetada e intensa atividade profissional e cultural de Rui Beja.

Em 2002 é agraciado com a Ordem de Mérito, grau de comendador, pelo então Presidente da República Jorge Sampaio.

Entre 2007-2009, acumulou as seguintes funções administrador não executivo da Lisboa Editora (Grupo Porto Editora); a lecionação de Gestão Editorial no curso de mestrado em Estudos Editoriais da UA no ano letivo 2007/2008 e a presidência da APEL entre 2008-2009.

Tem publicado outras obras que refletem o seu percurso profissional: «Risk Managment - Gestão, Relato e Auditoria dos Riscos de Negócio» (2004) e «À Janela dos Livros – Memória de 30 Anos de Círculo de Leitores» (2011), para além de vários artigos sobre planeamento estratégico.

*Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico

imprimir